Economia, Lamego

Câmara de Lamego angariou mais de 37 milhões de euros do QREN para investimento

CML_3078-1A Câmara Municipal de Lamego está a concluir os projetos aprovados, no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) 2007-2013, de mais de 37 milhões de euros, garantindo desta forma uma elevada taxa de execução dos fundos comunitários disponíveis. O Plano de Regeneração Urbana “Viver Lamego”, a construção de três novos centros escolares e a transformação do Complexo Desportivo num moderno Centro de Estágios foram alguns dos investimentos que tiveram comparticipação garantida ao abrigo do QREN.

Embora tenham ocorrido constrangimentos financeiros provocados pela redução das transferências provenientes do Orçamento do Estado e pela diminuição das receitas próprias, esta autarquia garantiu a capacidade financeira necessária à componente nacional dos projetos executados no concelho. Aliás, a comprovar o “excelente momento da situação financeira” do Município de Lamego, Francisco Lopes, Presidente da autarquia, avança que, “fruto do rigor de gestão e do aproveitamento exaustivo dos fundos comunitários”, procedeu-se ao pagamento, a 30 de junho, de quase seis milhões de euros a fornecedores e empreiteiros. Um valor record e sem qualquer financiamento bancário.

A implementação do Eixo Urbano do Douro, candidatura apresentada pela rede de cidades Lamego/Régua/Vila Real, a construção do Centro Interpretativo da Máscara Ibérica na vila de Lazarim, a criação da Loja Interativa de Turismo e a valorização patrimonial do Escadório de Nossa Senhora dos Remédios também integraram o lote dos grandes projetos municipais submetidos a fundos comunitários que visam consolidar o desenvolvimento económico e social local.

Com o objetivo de tornar este território mais competitivo, foram ainda concretizados um vasto conjunto de projetos imateriais, nomeadamente a implementação de um plano de eficiência energética de iluminação pública, a criação do Centro Interpretativo da História da Cidade – Lamego Memória e Identidade Urbana, a produção de diverso material de divulgação turística, o levantamento e referenciação de todas as unidades hoteleiras e restauração do concelho e a criação de diversos eventos de promoção da cidade. Ainda ao nível da concretização de projetos infraestruturais que pretendem valorizar os recursos endógenos locais avançou-se, por exemplo, com a requalificação do Cais de Bagaúste e com a modernização do Mercado Municipal.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *