Póvoa de Varzim, Sociedade

Póvoa e México mais próximos

Póvoa e México mais próximosA Póvoa de Varzim recebeu, ontem, a visita do Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, Luís Campos Ferreira, acompanhado pelo Embaixador do México, Alfredo Pérez Bravo.

Depois de recebidos pelo Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, nos Paços do Concelho, seguiram para a Zona Industrial de Laundos, onde conheceram a empresa Energie. Luís Rocha, fundador e administrador da Energie, empresa de painéis solares termodinâmicos, bombas de calor e sistemas de equipamentos de aquecimento de água, manifestou o interesse em estabelecer parcerias comerciais com o México.

Na Zona Industrial de Amorim, visitaram a RCM-Etiquetas que opera no ramo da impressão e produção de rótulos e etiquetas, inicialmente para o sector têxtil, entretanto também para os sectores vitivinícola, alimentar e industrial.

No Cine-Teatro Garrett, foram recebidos com poesia, declamada por João Rios e Aurelino Costa, acompanhados por José Peixoto, à guitarra. Seguiu-se uma visita guiada pela casa de espetáculos poveira que completou um ano de reabertura em junho.

A visita decorreu no âmbito da iniciativa “Embaixadorias”, que consiste em levar Embaixadores acreditados em Lisboa a visitar diversas regiões portuguesas, realçando a diversidade cultural e as potencialidades do tecido empresarial do País, de modo a promover as exportações e a internacionalização das empresas nacionais.

Neste sentido, o Município da Póvoa de Varzim promoveu um jantar conferência com empresários do concelho e que contou também com a presença de Pedro Rodrigues, da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), disponível para esclarecer os presentes sobre o Portugal 2020, último Quadro Comunitário de Apoio para a modernização e competitividade do país.

Sobre esta visita, Aires Pereira transmitiu que “esta aproximação e este projeto das Embaixadorias é algo muito reconfortante para quem está aqui no terreno, longe de Lisboa, e é uma oportunidade para mostrar aquilo que de mais importante existe na nossa terra e os projetos que eventualmente têm importância sob o ponto de vista da internacionalização”.

O edil explicou que o Secretário de Estado tem vindo a desafiar as autarquias para este projeto de Embaixadoria e manifestou que tem “o maior gosto em receber o Senhor Embaixador do México e de lhe mostrar um pouco daquilo que são as nossas raízes, aquilo que é a identificação da nossa terra e também, sob o ponto de vista cultural, dar a conhecer aquilo que de melhor temos no concelho, para além do aspeto que os trouxe aqui: conhecer as empresas da Póvoa de Varzim”.

O Presidente confessou que era um projeto “ao qual não estávamos habituados, mas que dou por muito bem-vindo, bem como a disponibilidade do Embaixador do México em vir até ao Norte do país e à Póvoa de Varzim para conhecer esta realidade do país que muitas vezes não aparece nos escaparates mais importantes da comunicação”.

Alfredo Pérez Bravo revelou que está há dois meses em Portugal como Embaixador do México, e graças à iniciativa do Secretário de Estado tem oportunidade de conhecer estes “belíssimos lugares e cidade como a Póvoa de Varzim. Esta tarde, estivemos reunidos com o Senhor Presidente da Câmara que nos explicou os projetos que estão a ser concretizados em distintas áreas e fiquei surpreendido de como tudo está a funcionar tão bem.

O Cine-Teatro Garrett é um exemplo extraordinário do que num ano e meio foi feito: a partir de umas paredes, renasceu um dos teatros mais modernos que já conheci. Isto deve-se ao trabalho extraordinário do Presidente da Câmara”, constatou.

A propósito da visita às empresas Energie e RCM, Alfredo Pérez Bravo transmitiu que tratando-se de empresas familiares, o surpreenderam positivamente porque revelam o esforço de gerações de famílias portuguesas e o esforço dos empresários deste país que contribuem para o crescimento económico de Portugal.

Neste sentido, considerou que este é, então, um bom momento para que o México acompanhe Portugal e vice-versa, em várias áreas. “Uma delas é a dos negócios: interessa-nos muito ter investimentos portugueses no México, intercâmbios comerciais, e, sobretudo, ter uma maior comunicação entre os atores económicos dos dois países. Há outras áreas onde fiquei muito surpreendido nesta cidade: o tema da evocação e da cultura são áreas onde me parece que também podemos fazer muitas coisas e o México deve estar aqui presente nos grandes festivais como o Correntes d’Escritas e trazer também grupos musicais e folclóricos”.

O Embaixador manifestou o desejo de que a nossa cidade também se dê a conhecer no México.

Terminou, afirmando: “creio que poucas cidades no mundo têm o privilégio de ter um mar, uma produção agrícola tão importante, de ter o melhor leite do país e ainda um turismo que está a crescer enormemente”.

Perante tal facto, Alfredo Pérez Bravo rendeu-se: “eu me converto em Embaixador da Póvoa de Varzim no mundo porque, de cada vez que falar com algum mexicano, vou recomendar-lhe que vá a Lisboa e ao Porto mas que também é obrigatório ir à Póvoa de Varzim”.

Luís Campos Ferreira explicou que “fazemos o programa Embaixadorias regularmente, que consiste em trazer os Embaixadores acreditados em Lisboa ao chão do país real: ao país cultural, científico, ao país das academias e, claro está, ao país económico. E, fazemos sempre isso numa partilha com os Senhores Presidentes de Câmara. São eles que melhor conhecem o território, que estão próximos das oportunidades, dos problemas e, por isso, sabem muito bem como podemos encontrar e capitalizar estas relações”.

O Secretário de Estado esclareceu que “é, no fundo, fazer diplomacia com os municípios, fazer diplomacia cá dentro virada lá para fora. É isso que estamos a fazer hoje na Póvoa com o Senhor Embaixador do México em Portugal no sentido de termos mais Póvoa no México e mais México na Póvoa. Estou convencido que criada esta atmosfera, empatia e simpatia, esta troca de impressões, vamos conseguir atingir isso”.

Luís Campos Ferreira transmitiu que “são programas que têm custos reduzidíssimos, não têm investimentos grandes, cujo retorno não é mensurável em mapas de folhas Excel mas o que é mensurável é a aproximação entre as pessoas, a troca de culturas, a troca de informações e a criação de oportunidades. A proximidade que se cria torna-se um grande facilitador de relações sejam elas culturais, económicas ou de outro setor qualquer”.

Terminou, reconhecendo que “o Senhor Embaixador do México tem sido incansável nesta Embaixadoria que é a 13ª. A Póvoa irá com certeza ter mais notoriedade no México e o México fica também com o canal aberto para a Póvoa”.

Veja a fotogaleria.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *