Cultura, Évora

Exposição “Iluminuras Sem Tempo”, no Palácio de D. Manuel em Évora

Exposição_Iluminuras Sem Tempo_2“Iluminuras Sem Tempo” é como se intitula a exposição que a Câmara Municipal de Évora apresenta no 1º piso do Palácio de D. Manuel, a partir do dia 19 de junho e que é composta por um conjunto de cerca de 250 trabalhos de pintura de pequeno formato, que reproduzem iluminuras de diferentes períodos da Idade Média.

Os trabalhos expostos foram realizados no âmbito de um ateliê de artes visuais, dinamizado por Leonor Serpa Branco, pintora e professora. A exposição foi estruturada em volta de alguns conjuntos temáticos, nomeadamente: o Foral de Évora, ambientes, inspiração da natureza, drôleries (grotesto), trovadores e jograis, figuras religiosas e anjos.

Nos seus trabalhos, os autores procuraram abordar temas muito variados: flores, animais, letras capitulares, músicos com os seus instrumentos musicais, animais, animais fantásticos, figuras religiosas, assim como ambientes da vida no campo e na cidade da época medieval.

Segundo Leonor Serpa Branco, “a elaboração deste conjunto de pinturas foi um desafio constante, no trabalho de pormenor e do detalhe, experimentando outro tempo, tempo este que é tão diferente nos dias de hoje e escapa à nossa sensibilidade, ao nosso olhar e ao nosso estar”.

Esta exposição mostra-nos como a Idade Média não foi apenas um período de trevas que separa a Antiguidade Clássica do seu Renascimento. Para os românticos é considerada uma floresta gótica, frondosa, pouco conhecida. Nessa floresta existiam centros em que se faziam maravilhosos livros, iluminados com preciosos desenhos, coloridos com reluzentes cores, em que se representavam cidades e campos, cortes e aldeias, mercadores, cavaleiros e trovadores, cenas da vida de Cristo e da Virgem Maria, anjos e santos, animais reais e fabulosos. Fazer esses livros era um trabalho duro, esgotante e sem fim, mas do esforço desses monges sobreviveram alguns testemunhos, que ainda nos nossos dias desafiam e iluminam as nossas imaginações, com as suas cores brilhantes e cintilações douradas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *