Castro Marim, Cultura

Manuel Alegre vem a Alcoutim celebrar os 50 anos de “Praça da Canção”

O recentemente inaugurado Espaço Guadiana, em Alcoutim, acolhe no dia 4 de julho, às 18h00, a sessão comemorativa do cinquentenário da primeira edição de “Praça da Canção”, de Manuel Alegre, o livro em que o poeta pressagiou a Revolução de Abril de 1974. A cerimónia contará com a presença do autor e terá como oradores os escritores Teresa Rita Lopes, José Manuel Mendes, Julieta Monginho e Carlos Brito.

O livro de Manuel Alegre foi editado pela primeira vez em 1965 e logo proibido pelo regime instituído de censura prévia da ditadura. A sua publicação coincidiu com um período de recrudescimento da ação repressiva da ditadura salazarista. Foi o ano do assassinato do General Humberto Delgado e do encerramento, assalto e vandalização da Sociedade Portuguesa de Escritores.

Enfrentando a violência fascista, o poeta escreveu no frontispício do seu livro: “Venho dizer-vos que não tenho medo / a verdade é mais forte que as algemas”. E prosseguiu, logo na apresentação, reclamando-se “De certo modo sou um guerrilheiro / que trás a tiracolo /uma espingarda carregada de poemas”.

O livro provocou um grande sobressalto na vida cultural e política de país e constituiu um encorajamento muito forte à resistência. Após a sua proibição passou a circular clandestinamente, copiografado ou dactilografado, passando de mão em mão e de boca em boca.

Muitos dos poemas incluídos no livro, cantados por Adriano Correia de Oliveira, Zeca Afonso e outros cantores de intervenção, tornaram-se verdadeiras bandeiras da luta antifascista na marcha para a liberdade, até ao 25 de Abril e depois dele. É o caso, entre outros, de poemas tão conhecidos como “Trova Do Vento Que Passa”, “Canção Com Lágrimas e Sol” ou “Romance do Pedro Soldado”. Destaque também para “Trova Do Amor Lusíada” que foi contada por Amália Rodrigues.

A obra foi reeditada em janeiro último pelas Publicações D. Quixote, com um prefácio do jornalista e escritor José Carlos de Vasconcelos, no qual sublinha que este livro, “dentro de uma linha que remonta aos cancioneiros (…), há muito ultrapassou fronteiras”.

“Praça da Canção” é um dos livros de poesia portuguesa mais lidos de sempre. Comemorar os 50 anos da sua publicação é assinalar um momento de rara comunhão da grande poesia com a luta popular.

 

O evento é uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal e do Grupo dos Amigos de Alcoutim, um movimento em prol do desenvolvimento de Alcoutim formado em 2012 por um grupo de naturais e amigos do concelho onde se inclui o ex-deputado e escritor Carlos Brito, a escritora e professora universitária jubilada Teresa Rita Lopes, bem como o jornalista e escritor Mário Zambujal.

 

 

 

A entrada é livre.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *