Cultura, Portimão

Património Oral do Algarve volta ao FOrA em Portimão

Cartaz-FORA-2015Entre os dias 30 de junho e 4 de julho, o FOrA – Festival da Oralidade do Algarve regressa a Portimão para a sua segunda edição. A organização estará a cabo das associações Teia D’Impulsos e ALVORecer, em parceria com o Museu Municipal de Portimão, a associação APEOralidade – Associação de Pesquisa e Estudo da Oralidade e a produtora JumpCut.

Através de performances, oficinas, bailes e debates, o FOrA irá levar a tradição oral do Algarve a vários espaços da cidade de Portimão e da vila de Alvor. Marcarão presença os cantares, as lendas, as lengalengas e trava-línguas, as histórias, os saberes e os fazeres tradicionais, entre outras expressões da oralidade regional.

Segundo a organização “o objetivo do FOrA é divulgar essas tradições e encorajar o diálogo inter-geracional. Afinal, o que de mais genuíno há na vida de uma comunidade dificilmente cabe nas estantes de uma biblioteca. Escapa à expressão escrita e circula de boca em boca, muda, deturpa-se, acrescenta um ponto (ou mais) ao conto, ganha nuances ditadas pelo tempo e pelo espaço. E desvanece ao ritmo da vida humana. O património oral é, enfim, uma realidade dinâmica e, por isso mesmo, em constante risco de ocaso. Apenas sobrevive se comunicado e memorizado pelas gerações seguintes, tornando-se num fio condutor da história de um povo.” Desta forma, o FOrA pretende dar um contributo para a valorização e preservação do património oral do Algarve.

Os eventos que integrarão o FOrA são diversificados, de entrada gratuita e destinados a várias faixas etárias. O festival abre na noite de 30 de Junho (terça-feira), com a exibição do filme Floripes de Miguel Gonçalves Mendes no TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, seguido de uma conversa em torno da produção do filme e do seu impacto na valorização das lendas da moura encantada de Olhão. No dia 1 de Julho, o FOrA ruma ao Museu Municipal de Portimão, para uma visita guiada pela voz dos antigos operários da fábrica Feu e dos homens do mar. A noite de 2 de Julho será em Alvor, numa mostra da rica tradição oral desta vila piscatória com a Oficina das Mezinhas e com a Desfolhada.

O fim-de-semana traz mais FOrA. Logo na sexta-feira à tarde, dia 3 de julho, os mais jovens serão convidados a conhecer um pouco mais sobre os dizeres e falares dos seus avós e, depois, hora de brincadeira com Jogos Tradicionais, como eram noutros tempos. O festival continua pelo fim da tarde e noite de sexta-feira e sábado, na zona da Antiga Lota de Portimão, com mesas redondas, artes e ofícios (Oficinas de Biqueirão, de Empreita e de Doçaria Regional), várias performances, entre elas, uma amena cavaqueira com o Môce Dum Cabréste e muita música.

Como não podia deixar de ser, as noites de sexta-feira e sábado serão animadas pelos bailes FOrA e terminam já FOrA d’Horas, dentro do edifício da Antiga Lota, com um convite à descoberta de formas alternativas e mais contemporâneas da oralidade. Marque na sua agenda este encontro com as tradições orais do Algarve.

Já sabe, venha ao FOrA e fique por dentro. O programa detalhado estará disponível em breve. O Festival da Oralidade do Algarve conta com o apoio da Câmara Municipal de Portimão, da Junta de Freguesia de Portimão, da Junta de Freguesia de Alvor e da Direção Regional da Cultura.

 

Mais informações acerca desta e de outras iniciativas da Associação Teia D’Impulsos em www.teiadimpulsos.pt ou através do e-mail teiadimpulsos@gmail.com.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *