Borba, Cultura, Sociedade

Comemorações dos 350 anos da Batalha de Montes Claros em Borba

Comemorações Batalha Montes ClarosOs 350 anos da Batalha de Montes Claros vão ser assinalados com um conjunto de iniciativas, entre 17 e 24 de junho, promovidas pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, Exército, Escola das Armas, Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, Município de Borba e Fundação da Batalha de Aljubarrota.

No dia em que assinalam os 350 anos da batalha que decidiu definitivamente a independência de Portugal, 17 de junho, decorre a cerimónia de homenagem aos mortos, pelas 17.00 horas, junto ao Padrão Comemorativo da Batalha de Montes Claros, seguindo-se, às 18.00 horas, a cerimónia militar comemorativa dos 350 anos da Batalha de Montes Claros, na Praça da República, às 18.45 horas serão inaugurados os bustos do Conde Shomberg e do Marquês de Marialva, no edifício dos Paços do Concelho, e às 19.15 horas será inaugurada a exposição “Guerra da Restauração ou Aclamação da Independência 1640-1668” e apresentado o vinho e o azeite comemorativos dos 350 anos da Batalha de Montes Claros, na Igreja das Servas. No dia 18 de junho, o Salão da Misericórdia recebe a conferência sobre a Batalha de Montes Claros, com o Cor Américo Henriques. Domingo, dia 21 de junho, realiza-se uma prova de cicloturismo, com a 2ª etapa que liga o RA5, em Vendas Novas, ao Padrão Comemorativo da Batalha de Montes Claros, às 8.30 horas haverá um passeio pedestre sob o tema “Memórias de Montes Claros”, e às 21.00 horas um concerto pela Orquestra Ligeira do Exército, no Largo da Fonte. As comemorações terminam no dia 24 de junho, com a apresentação da monografia sobre a Batalha de Montes Claros, da autoria do Cor Eng Berger, pelas 18.00 horas, na Igreja das Servas.

A Batalha de Montes Claros foi travada do dia 17 de junho de 1665, perto de Rio de Moinhos, com o Marquês de Caracena a impedir as tropas portuguesas de acudir Vila Viçosa, onde os espanhóis pretendiam destruir o Palácio dos Duques de Bragança, símbolo da nova dinastia. As tropas portuguesas, comandadas pelo Marquês de Marialva e pelo Conde das Galveias conseguiram o feito de derrotarem o mais poderoso exército da Europa, mostrando ao Mundo que uma reconquista de Portugal por Espanha seria uma tarefa dispendiosa, demorada e mesmo impossível. Assim, graças a esta batalha, a Paz com Espanha foi assinada em 1668, iniciando uma nova era de prosperidade, otimismo e riqueza para Portugal. No local foi mandada edificar uma coluna em mármore pelo Príncipe Regente D. Pedro.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *