Desporto

Trans-Ibérica em BTT Tejo/Tajo Vivo, percorrer o rio Tejo da nascente à foz

DSCF0834Uma aventura para percorrer em Bicicleta Todo-o-Terreno (BTT) o Tejo da nascente à foz, de 15 a 30 de Maio. A travessia ibérica assume-se como um passeio turístico em duas rodas de 1.210km e dividido em 13 etapas. A prova, mais extensa da Península Ibérica a realizar individualmente, desafia os participantes, em semi-autonomia, a percorrer as margens do rio por antigos caminhos rurais e estradas secundárias. Um trajecto recheado de single tracks, com um acumulado de subidas de mais de 16 mil metros, que chega a atingir 1.688 metros de altitude.

A participação garante alojamento, duches e alimentação, bem como acompanhamento, desde o transporte de bagagens, apoio mecânico a bicicletas e socorrismo. Engloba, ainda, seguro de acidentes pessoais, responsabilidade civil, lembranças de participação e prémio finisher.

Os participantes vão fazer a travessia orientados por GPS e acompanhados por três atletas com um vasto currículo em provas e maratonas de modalidades em bicicleta. Os atletas Sónia Ramalho, Sónia Lopes e Ricardo Salgueiro são os convidados desta travessia turística, que liga a nascente do Tejo, na espanhola Serra de Albarracín, à foz na capital portuguesa.

Na sua 2ª edição, a prova turística em BTT irá iniciar no dia 18 de Maio com o acto simbólico dos atletas recolherem um pouco de água da nascente do Tejo para mais tarde, à chegada, a devolverem em Lisboa à foz do rio.

Pelo caminho, os atletas vão vislumbrar 10 etapas em território espanhol, passando por Salto de Póveda, Trillo, Zorita de los Cañes, Aranjuez, Toledo, Talavera de la Reina, Bohonal de Ibor, Serradilla e Alcántara. Em território nacional, a Trans-Ibérica entra no dia 27 de Maio. As duas rodas vão circular por Vila Velha de Rodão, Abrantes, Santarém e, por fim, pela capital portuguesa.

Esta actividade pretende afirmar os territórios ibéricos, situados nas margens do Tejo como um destino turístico integrado. E surge por iniciativa de 17 Associações de Desenvolvimento Local portuguesas e espanholas, que num projecto denominado de Tejo/Tajo Vivo, apoiado pelo Programa de Desenvolvimento Rural (ProDeR), desenvolvem várias acções com o fim de aumentar a competitividade e promover o desenvolvimento económico, social e ambiental destas localidades ribeirinhas. Em Portugal é representado pela ADRACES – Raia Centro-Sul, Pinhal Maior – Pinhal Interior Sul, LEADER SÔR – Alto Alentejo, TAGUS – Ribatejo Interior, ADIRN – Ribatejo Norte e APRODER – Ribatejo. Para obter mais informação pode ir ao sítio na Internet em www.tejovivo.com.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *