Cultura, Santo Tirso, Sociedade, Turismo

Santo Tirso celebra Páscoa com mercado Nazareno

Mercado Nazareno_2014Cerca de 50 atores vão dar à vida às 18 recriações históricas que irão ter lugar a partir da próxima sexta-feira, na Praça 25 de Abril, em Santo Tirso. A abertura oficial do Mercado Nazareno está agendada para as 11h00, do dia 3 de abril, com o batismo de Jesus por João Batista.

Num recinto com seis mil metros quadrados, em frente aos Paços do Concelho, o Mercado Nazareno vai estar dividido em diversos espaços. Desde “Belém”, onde estarão concentrados os artesãos e mercadores trajados à época, com tendas própria e decoração adequada, passando por «Hebrom», uma zona de diversão infantil, a «Aldeia Canaá», com exposição de animais e demonstração de velhos ofícios, como a forja, talha, a carpintaria ou a curtimenta da pele, o «Calvário», local onde decorre uma das representações mais dramáticas da vida de Jesus: a Crucificação. Uma das novidades da edição deste ano é uma zona dedicada à restauração, denominada «Pão Ázimo».

No total, o Mercado Nazareno junta seis dezenas de artesãos, distribuídos por diversas áreas, como gastronomia, couros, madeiras, cortiças, joalharia, marionetas e brinquedos. “Queremos que as pessoas tenham a oportunidade de vir a Santo Tirso comemorar a Páscoa, revivendo a história de Jesus, através das dramatizações históricas, mas também dando a conhecer os artesãos do concelho e da região”, explica o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto.

Depois do sucesso da primeira edição, o Mercado Nazareno deste ano surge com uma programação melhorada. “Temos um horário mais alargado e um maior número de representações históricas, quase todas diferentes das que foram protagonizadas no ano passado”, explica o autarca, mostrando-se confiante relativamente “aos milhares de visitantes” que irão passar por Santo Tirso entre sexta e segunda-feira.

Segundo o presidente da Câmara Municipal, para quem um dos objetivos deste grande evento “é inscrever o concelho nas rotas do turismo religioso e das recriações históricas”, são esperados visitantes de toda região Norte e até da Galiza.

A abertura oficial do Mercado Nazareno está agendada para as 11h00, do dia 3 de abril, com a presença do presidente da autarquia, Joaquim Couto, e da vereadora da Cultura, Ana Maria Ferreira.

 

As recriações

O Mercado Nazareno abre, dia 3 de abril, sexta-feira, com sete recriações históricas, as primeiras das quais marcadas para as 11h00, relacionada com «O Batismo» e de seguida «O Casamento», onde Maria e Jesus assistem ao casamento de uma prima.

Da parte da tarde, a partir das 15h00, terá lugar «Jesus Pregando», numa encenação que conta o episódio de Jesus a espalhar a palavra de Deus. Alguns momentos inéditos acontecem: apedrejamento da meretriz e o milagre da multiplicação do pão. Segue-se a «Chegada a Jerusalém», onde Jesus é recebido pelo povo com folhas de palmeira. Poucos minutos depois, os soldados capturam-no e levam-no para ser interrogado por Pilatos. Já na encenação «Barrabás», marcada para as 18h00, Pilatos declara ao povo que César lhes cederá uma oferta para a Páscoa: podem escolher entre dois prisioneiros para a sua libertação.

Já a partir das 21h00, será tempo da «Via Sacra», durante a qual Jesus, carrega a sua cruz, até ao calvário. Um percurso recheado de drama e de várias encenações. Quando o relógio assinalar as 22h00, Jesus é crucificado, juntamente com dois ladrões. O povo chora o seu sofrimento.

No dia 4 de abril, sábado, o recinto do Mercado Nazareno abrirá portas pelas 10h00, brindando os visitantes com um ambiente típico da época, rico em cores, sons e aromas. A «Recolha do Corpo» acontecerá pelas 11h00, com a encenação de Jesus, nos braços de Maria a ser entregue pelos soldados aos apóstolos, que o levam para limpeza e tratamento do seu corpo, para o sepultarem no Vale dos Mortos.

«O Luto» surge às 15h30, com Maria a chorar em frente ao túmulo. Os seus companheiros tentam consola-la, lembrando alguns feitos do seu filho: Milagre de S. Lázaro e Milagre do Leproso. Nessa altura decorre «O Milagre», em que Pedro encontra um pedinte na rua, diz-lhe que não tem dinheiro, mas que lhe dará o que tem. A «Perseguição» e as «Ameaças» decorrem logo de seguida, a partir das 16h30.

As dramatizações dos momentos bíblicos continuarão dia 5 de abril, domingo de Páscoa, pelas 14h30, com as encenações da «Ressureição» e «Entre Nós» a serem transmitidas em direto na TVI, no programa “Somos Portugal”. Mais tarde, quando se assinalarem as 21h30, num grande clarão, Jesus aparece ao público, deixando a sua mensagem.

No dia de encerramento, a 6 de abril, segunda-feira, estão reservadas as encenações da «Palavra de Deus», marcadas para as 11h00. Da parte da tarde o «Milagre» irá acontecer pelas 15h30. Segue-se a «Perseguição». Neste momento cénico, Paulo de Tarso, incumbido por Ceifás, persegue os apóstolos para os matar. Pelo caminho, Jesus aparece e cega-o. Os soldados levam-no para o acampamento. Ananias ouve a voz de Cristo, que o leva a Paulo.

As Recriações do Mercado Nazareno encerram com o último episódio bíblico marcada para as 17h30, com «Ameaças», onde Ceifás manda capturar Pedro e ameaça calá-lo.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *