Cultura, Óbidos, Turismo

Espetadores “jantam” com Inês de Portugal – Festival Internacional de Chocolate em Óbidos

cartaz Inês de PortugalE se, de repente, o seu jantar fosse num palco de uma peça de teatro? E se essa peça de teatro tivesse vários palcos? E se você fizesse parte das cenas? E o jantar também… Pois bem, é isso que a Companhia Fatias de Cá propõe a todos aqueles que se deslocarem ao Convento de São Miguel, nas Gaeiras, Óbidos, nos próximos dias 23 e 30 de abril, numa ação integrada no Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, evento que decorre de 16 de abril a 3 de maio.

A ação desenrola-se em diversos espaços simultaneamente e é impossível saber o que se passa com as outras personagens. Uma produção feita num espaço com uma forte marca patrimonial e cultural, o espetáculo integra um jantar e, por essa razão, o início acontece, pontualmente, às 20h20.

A execução de Inês de Castro foi decretada por uma sentença real e motivada por imperativos políticos. Ao subir ao trono, D. Pedro, que tinha jurado perdoar aos “matadores” de Inês, decidido a vingar a única mulher que amou, quebra esse juramento e proclama Inês, depois de morta, Rainha de Portugal.

 

Os bilhetes já estão à venda online em obidos.bilheteiraonline.pt (33,33€).

Sobre o Fatias de Cá

“O Fatias de Cá (criado em Tomar em 1979) tem 5 centros de produção teatral (Lisboa, Coimbra, Tomar, Torres Novas e Almourol) enquadrados pelo Fatias de Cá – Portugal.

Enquanto Companhia de Teatro, desenvolve projetos de âmbito profissional e amador para o que conta com mais de 100 membros nivelados.

A sustentabilidade financeira do Fatias de Cá tem assentado nas receitas de bilheteiras e nos contributos dos seus membros.

A opção estética do Fatias de Cá assume três vertentes:

• o património, quer o construído, quer o paisagístico, é assumido como um espaço teatral privilegiado, tendo em conta o cenário que comporta;

• a partilha com o público de um momento de refeição é assumida como uma forma de sociabilização e de concentração no espaço-tempo convocado pelo espetáculo;

• o ato teatral é assumido como um momento que emocione, divirta e cidadanize.

O Fatias de Cá defende como lema uma frase atribuída a Galileu: «Não resistir nem a uma ideia nova nem a um vinho velho».

A designação “Fatias de Cá” inspira-se no nome de um doce conventual (Fatias de Tomar) cuja receita pode ser considerada uma metáfora do ato teatral: batem-se gemas de ovos demoradamente até obterem um aspeto cremoso e uniforme e vão a cozer em banho-maria numa panela especial até ficarem com a consistência do pão. Fatia-se, frita-se em calda de açúcar.”

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *