Cultura, Sociedade, Trofa

Caminhada entre Castros (Alvarelhos e São Paio) assinala Dia Internacional dos Monumentos e Sítios na Trofa a 19 de abril

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, é assinalado na Trofa, a 19 de abril, com a iniciativa “Caminhada Entre Castros”, do Castro de Alvarelhos ao Castro de São Paio (Labruge, Concelho de Vila do Conde), num percurso, durante o qual haverá paragens interpretativas.

O programa previsto começa às 8h30, e terá ponto de encontro no Castro de Alvarelhos, tendo términus previsto para as 15h30, com regresso de autocarro a Alvarelhos.

Esta ação tem organização das Câmaras Municipais da Trofa e de Vila do Conde, e engloba um percurso de 15 quilómetros.

Os interessados em participar nesta iniciativa, devem inscrever-se até 15 de abril, através do email patrimoniocultural@mun-trofa.pt, ou do telefone 252 400 090, na Casa da Cultura da Trofa.

Recorde-se que o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que foi instituído em 1982 pelo ICOMOS e aprovado pela UNESCO no ano seguinte, festeja-se a 18 de abril.

Esta data comemorativa tem vindo a oferecer, nos últimos anos, a oportunidade de aumentar a consciência pública relativamente à diversidade do património e aos esforços necessários para a sua proteção, conservação, chamando a atenção para a sua vulnerabilidade.

Esta comemoração, tem este ano, na Trofa, como protagonista, o Castro de Alvarelhos, que é Monumento Nacional, desde 1910, localiza-se na União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões, na Serra de St.ª Eufémia, numa elevação na margem direita do ribeiro da Aldeia. Encontra-se protegido por uma zona especial de proteção com cerca de 130 hectares que ultrapassa os limites do concelho da Trofa e se estende para a freguesia de Guilhabreu, Concelho de Vila do Conde, abrangendo ainda uma pequena parcela da Vila do Castêlo da Maia, Concelho da Maia.

Tal perímetro traduz a dimensão desta estação arqueológica colocando-o entre os maiores do Noroeste Peninsular. Teve várias épocas de ocupação, desde os finais da Idade do Bronze à Idade Média, e delas guarda vestígios materiais e arquitetónicos.

A ocupação deste local durante a Idade do Bronze está documentada por cerâmicas polidas e carenadas, machados em pedra polida e lâminas em sílex, sendo, por ora, desconhecidos vestígios de construções desse período.

A zona de visita mais expressiva corresponde a uma plataforma intermédia, onde se identificaram, além de estruturas circulares castrejas, diversos indícios arquitetónicos de romanização, nomeadamente casas de tipo domus, sobrepostas às construções da Idade do Ferro. Do período da ocupação medieval são ainda visitáveis, neste espaço, as ruínas da segunda igreja de Alvarelhos e sepulturas do mesmo período.

 

O livre acesso à estação arqueológica e a existência do percurso interpretativo permite a realização de visitas sem guia e a qualquer dia.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *