Arouca, Sociedade, Tecnologia

Arouca Geopark acolhe reunião de meteorologistas de toda a europa

OPERA meeting23Cerca de 50 especialistas em questões meteorológicas, oriundos de 19 países da Europa, irão participar no «OPERA meeting», que decorre, entre 18 e 20 de março, na Loja Interativa de Turismo do Arouca Geopark. Durante estes dias, para além do intenso trabalho técnico e científico a desenvolver na área da meteorologia-radar, os representantes dos Serviços Meteorológicos da EUMETNET (Rede dos Serviços Meteorológicos Europeus) terão oportunidade de conhecer o que de melhor o Arouca Geopark tem para oferecer, tanto do ponto de vista científico como turístico e paisagístico.

Participam nesta reunião técnicos dos seguintes países: Portugal, Espanha, França, Reino Unido, Irlanda, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Noruega, Suécia, Finlândia, Alemanha, Suíça, Áustria, Eslovénia, Croácia, Hungria, Polónia e Estónia.

O Projeto OPERA encontra-se, presentemente, na sua quarta fase. Com o objetivo de coordenar a implantação de uma rede europeia de radares meteorológicos, este Projeto apoia, igualmente, a criação de redes regionais e nacionais, prosseguindo uma política de harmonização e garantia de qualidade dos dados de radar.

Neste âmbito, desde 2011 que entrou em exploração o novo «Operational Data Centre» (ODC), batizado de «Odyssey», no qual é feita a geração e gestão de produtos padronizados da Rede Europeia de Radares Meteorológicos para uso dos Serviços Meteorológicos Nacionais no âmbito do «Nowcasting», meteorologia aeronáutica e previsão numérica do tempo. Os radares de Coruche e Loulé contribuem com observações para o «Odyssey» desde setembro de 2014, esperando-se que, durante 2015, o mesmo suceda com o radar de Arouca.

«O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elegeu Arouca para instalar o terceiro radar Doppler da sua rede o qual, ao cobrir com eficácia o norte do território do continente, vem assegurar a cobertura integral do território por parte desta importante ferramenta observacional. Este equipamento beneficia da tecnologia de polarização dupla, uma novidade entre os sistemas da rede nacional, que contribuirá para assegurar previsões meteorológicas mais rigorosas e a emissão de avisos meteorológicos mais eficazes. Um equipamento destes e um território belíssimo como Arouca são motivos mais do que suficientes para realizarmos aqui a reunião do OPERA», referiu Sérgio Barbosa, meteorologista do IPMA e responsável pelo projeto do radar do Norte.

Também Margarida Belém, presidente da Direção da Associação Geoparque Arouca, sublinha a importância deste equipamento, não só do ponto de vista turístico, em termos locais, mas também científico, à escala europeia. «A panorâmica sobre o território que proporciona é uma mais-valia única, mas o Radar Meteorológico de Arouca irá, sobretudo, desempenhar um papel essencial na sua área específica de atuação. É na conjugação destes dois fatores que queremos apostar, na vertente pedagógica, e concretamente os programas pedagógicos do Arouca Geopark, que continuarão a dar a conhecer aos mais novos um património único, mas irão agora também sensibilizá-los de uma nova forma para o seu uso e preservação, demonstrando como tudo está interligado, inclusive o comportamento atmosférico», afirmou.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *