Cultura, Tomar

Mostra de Teatro Concelhia faz de Tomar um imenso palco

mostrateatro_peqComeça já no próximo domingo, dia 8 de Março, mais uma edição da Mostra de Teatro Concelhia, organizada pelo Município de Tomar em parceria com os grupos cénicos do concelho. Privilegiando a descentralização e no intuito de levar a arte teatral ao mais vasto conjunto de públicos, o programa inclui vários espectáculos nas freguesias rurais, para além daqueles que terão lugar na cidade.

Assim, na tarde do próximo domingo, dia 8, pelas 15h30, a Associação de Melhoramentos e Cultura do Poço Redondo recebe a peça inaugural, “O doido e a morte” de Raul Brandão, numa encenação de José Conchinha levada à cena pelo Espaço Zero.  É a história da explosiva ameaça de morte que o Sr. Milhões leva dentro de uma caixa até ao gabinete de Baltasar Moscoso que, refém de um doido, é forçado a ouvir e a concordar com a crítica, tão hilariante quanto pertinente, feita a uma sociedade multiplicadora de injustiças e de sentidos absurdos para a vida.

 

Peças e debates na cidade de 13 a 15  

No fim-de-semana seguinte, de 13 a 15 de Março, a Mostra estará centrada na cidade. O mesmo Espaço Zero leva ao Clube Thomarense, na noite de sexta, 13, às 21h00, “Tenho-me esquecido”, um texto cru e abruptamente real, de Sandra José, que reflecte sobre o problema da violência conjugal. Para maiores de 16 anos.

Ainda nessa noite, o Cine-Teatro Paraíso abre portas um pouco mais tarde do que o costume, para receber às 22h30 o fatias de Cá com a peça “Brigadas revolucionárias (1968-1974)”, um texto de Carlos Antunes e Carlos Carvalheiro onde se abordam as acções inovadoras contra o governo de Marcello Caetano no estertor do regime.

No sábado, dia 14, haverá três espectáculos, o primeiro dos quais logo às 11h00 da manhã, no Cine-Teatro: “O segredo da formiga”, fábula que nos fala do respeito e amizade entre animais, interpretada pelo Grupo de Teatro do CIRE numa encenação de Manuel António Nunes. À tarde, pelas 14h30, O Capítulo fará uma leitura dramática, no Clube Thomarense, do texto de Pierre Corneille “A ilusão cómica”, com encenação de A. Ferreira e F. Batista. E à noite, pelas 21h00, será a vez de o grupo ULTIMAcTO levar à cena no Cine-Teatro a peça “Os dois Menecmos”, uma comédia clássica de Plauto sobre dois irmãos gémeos separados à nascença. No domingo, dia 15, duas apresentações.

Pelas 15h30, o Grupo de Teatro da ACD S. Silvestre leva ao Cine-Teatro “O príncipe nabo”, peça dirigida ao público infantil a partir de um texto de Ilse Losa adaptado por Vera Sousa. Às 18h00, também no Cine-Teatro, será apresentada a “Soirée da Festa dos Tabuleiros: um revelar de um segredo”, espectáculo de temáticas tomarenses a partir de um texto de João Amendoeira com encenação de Paulo Serafim, levado à cena pela Oficina de Teatro Canto Firme. Chamamos a atenção para o facto de esta peça ter sido inicialmente apontada para o salão nobre dos Paços do Concelho, mas questões logísticas levaram ao seu reagendamento para o Cine-Teatro.

Nos três dias deste fim-de-semana, haverá sempre um debate entre os grupos participantes e o público interessado, a decorrer no Cine-Teatro após o último espectáculo (sexta e sábado) e na Sociedade Nabantina pelas 19h00 de domingo.

 

Peralva e Linhaceira a 20 e 21  

Finalmente, dias 20 e 21 o teatro regressa às aldeias. Na sexta-feira, 20 de Março, pelas 21h21, na sede do Rancho da Peralva, o Fatias de Cá repete a peça “Brigadas revolucionárias (1968-1974)”.

E o fim de festa será na Linhaceira, sábado, 21, pelas 21h00, com a tenda da ACR a receber a peça “O príncipe nabo” pelo Grupo de Teatro da ACD S. Silvestre. Os espectáculos nas freguesias rurais têm entrada gratuita. Os da cidade custam 1,50 € por sessão, havendo também um bilhete geral, de 5 €, que dá acesso a todos os espectáculos. Os bilhetes podem ser adquiridos no Cine-Teatro Paraíso e uma hora antes nos locais das sessões.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *