Celorico de Basto, Sociedade

Centro Social Manuel António da Mota em Celorico de Basto com instalações ampliadas

_DSC6966Decorreu no dia 12 de fevereiro, a cerimónia de inauguração das obras de ampliação do Centro Social Manuel António da Mota em Codessoso, Celorico de Basto.

“Hoje damos mais um passo significativo na história desta instituição que honra os pergaminhos de Manuel António da Mota. Esta obra nasceu do espirito inabalável e com o objetivo de servir os que mais precisam com toda a dignidade, de forma humana e com carinho, para viverem dignamente e felizes”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, atual presidente da Direção do Centro Social Manuel António da Mota, durante o discurso protocolar.

O autarca reforçou a importância do apoio da família Mota desde a génese do projeto e das políticas de cooperação do Ministério da Segurança Social para permitir a sustentabilidade do mesmo. “A família Mota associou-se desde logo ao projeto e quando foi para crescer esteve presente a ajudar, comparticipar e incentivar. No mesmo sentido, verificamos o esforço, apesar de todas as adversidades, do Diretor do Centro Distrital de Braga do Instituto da Segurança Social em atuar de acordo com as necessidades inerentes ao correto funcionamento de uma IPSS. O Centro Social MAM tem agora, com a ampliação, capacidade para 46 utentes o que atribui a esta IPSS alguma dimensão para poder servir as pessoas de forma sustentável”, salientou.

No mesmo sentido, Rui Barreira, Diretor do Centro Distrital de Braga do Instituto da Segurança Social. I.P., salientou a necessidade da obra que adveio de uma “simbiose completa entre o poder local, a sociedade civil e a Segurança Social e, todos em comunhão atuaram em virtude da sustentabilidade desta IPSS.

Afinal, estas casas, com qualidade e condições, dão vida às pessoas que as habitam”. Rui Barreira reforçou que “o país está em altura de mudanças económicas e evolução na área social, com trabalho vão-se conseguindo acordos e aumentá-los para números consideráveis e agradáveis para a direção”.

Salientar ainda a observação de Manuela Mota, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Manuel António da Mota “é preciso valorizar os esforços feitos pelas pessoas da Sociedade Civil que muito têm colaborado com as IPSS´s”.

Recordar que neste momento a IPSS tem 25 utentes de lar e 25 de apoio domiciliário e com a ampliação passará a ter condições para albergar 46 utentes para, desta forma, se tornar sustentável financeiramente.

Esta ampliação é uma continuidade do edifício existente para a parte Norte, seguindo exatamente as mesmas linhas interiores e exteriores, não desvirtuando em nada a estética e a sua funcionalidade.

O espaço ampliado é composto por dois pisos (cave e rés-do-chão), cave destinada a garagem e uma sala multiusos e andar destinado a um quarto simples, três quartos duplos e quatro quartos triplos, todos eles com quarto de banho privativo.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *