Felgueiras, Sociedade

Autarquia Felgueirense investe 2,5 milhões de euros em equipamentos culturais e turísticos

Casa Adro Pombeiro (1)O Presidente da Câmara Municipal de Felgueiras, Inácio Ribeiro, fez-se acompanhar por alguns membros do executivo para visitarem as obras de construção do Centro de Divulgação Patrimonial e Cultural – Casa Rural de Pombeiro – e do Centro Municipal das Artes Tradicionais, na Casa do Risco, em Airães. Estas duas obras estão inseridas “num programa de recuperação de edifícios, levado a cabo pela autarquia, cujo investimento ultrapassa os 2,5 milhões de euros”.

Inácio Ribeiro, satisfeito com o andamento das obras, referiu: “A remodelação total destes edifícios, será uma mais-valia no panorama dos equipamentos culturais do concelho, no âmbito do qual se tem realizado obras importantes, como, por exemplo, Casa da Cultura da Lixa e de Idães, Museu Casa do Assento de Friande e Villa Romana de Sendim, decorrente da política cultural de descentralização”.

 

Antiga Escola de Airães – Casa do Risco – transformada no Centro Municipal das Artes Tradicionais

A autarquia está a proceder a importantes obras de remodelação do edifício da antiga Escola Básica local, onde, atualmente, está sedeada a Casa do Risco.

O edifício deixou de funcionar como escola aquando do agrupamento dos estabelecimentos de ensino; a sua construção remonta ao período da implementação da rede de escolas primárias no tempo do Estado Novo.

O prédio, de dois pisos está bastante degradado e encontra-se isolado num terreno amplo, antigo recreio da escola.

Carla Meireles, vereadora da Cultura, acrescentou: “Sobre esta obra, em Airães, destaco a criação de várias valências importantes, tais, como, por exemplo, um auditório, anfiteatro, uma sala de formação e uma sala polivalente, fundamentais para o crescimento formativo e cultural do concelho”.

A nível das infraestruturas está a ser efetuada uma intervenção de fundo, através da instalação de tudo novo, dada a idade do prédio e à necessidade de se adaptar às novas necessidades da comunidade.

A obra abrange também a parte exterior, que está a ser adaptada a novas funções.

O custo da empreitada ascende a € 466.547,35 (já com IVA), com candidatura submetida ao Eixo Prioritário IV – Coesão Local e Urbana em regime de Overbooking, com comparticipação do FEDER em 85%.

 

Casa Rural de Pombeiro será o novo Centro de Divulgação Patrimonial e Cultural

A Casa Rural do Adro do Mosteiro de Pombeiro está a ser alvo de uma importante requalificação urbana por parte da Câmara Municipal, cujo projeto de execução representa a recuperação de um conjunto de casas localizadas no caminho de acesso principal ao Mosteiro.

A realização destas obras surgem em sequência do projeto da autarquia, que prevê implementar neste espaço o denominado Núcleo Expositivo e Interpretativo da Envolvência Rural do Mosteiro Beneditino de Santa Maria de Pombeiro.

A vereadora da Cultura, Carla Meireles, considerou que “a criação deste Núcleo insere-se no âmbito da política da edilidade quanto aos equipamentos culturais do concelho. Será um novo centro de apoio para divulgação do papel do Mosteiro de Pombeiro na História de Portugal, das potencialidades culturais da região e no âmbito da Rota do Românico. Terá uma missão diferente dos postos de turismo”.

A autarca abordou alguns pormenores sobre a obra: “Será implementada uma casa agrícola típica desta região, haverá um espaço qualificado para visita, com exposições e outras atividades. Neste espaço será possível receber anualmente 2 mil visitantes, entre público em geral alunos orientados pelas suas escolas”.

A intervenção arquitetónica, além de proporcionar a organização do espaço para um aproveitamento mais amplo e funcional, passa pela alteração de pavimentos, paredes, tetos, coberturas, caixilharia e esquadrias, iluminação, sistema de segurança e, entre outros, arranjos exteriores.

O orçamento da obra de requalificação e a aquisição de mobiliário e equipamento informático ascende a € 201.549,83 e tem apoio comunitário do programa PRODER – SP3 nas terras do Sousa, no âmbito do eixo “Qualidade de vida das zonas rurais diversificação da economia rural”, medida 3.2 Melhoria da qualidade de vida – Ação 3.2.1 – Conservação e valorização do património rural.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *