Cultura, Mação

Museu de Mação apresenta “Do Gesto à Arte: Criar, Fazer, Comunicar”

exposiçãomuseu042“Do Gesto à Arte: Criar, Fazer, Comunicar”, assim se designa a nova exposição permanente do Museu de Mação, inaugurada no dia 29 de Janeiro, por Jorge Barreto Xavier, Secretário de Estado da Cultura, e Vasco Estrela, Presidente da Câmara Municipal de Mação.

Na inauguração da Exposição, o Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, elogiou a Exposição e considerou o trabalho feito pelo Museu de Mação muito importante não só para Mação como para o País, que recusa ver concentrado em Lisboa, sendo Mação um bom exemplo da Cultura que se promove em Portugal, com reconhecimento no estrangeiro. Referiu que este “é um projecto cultural que contribui para o desenvolvimento regional e nacional, numa perspectiva de articulação em rede de âmbito internacional. Todos estes parâmetros são dignos de realce”. Jorge Barreto Xavier considerou que “tendo em conta o acordo europeu de parceira 2014-2020 estabelecido entre o Estado Português e a União Europeia, este Concelho parte com o trabalho de casa delineado e por isso com mais facilidades de ser apoiado”.

Vasco Estrela, Presidente da Câmara Municipal de Mação, agradeceu a presença do Secretário de Estado e a vontade que manifestou em estar presente “vincando, assim, institucionalmente o apoio e empenho do Governo Português no projecto ali desenvolvido e que não se esgota, antes pelo contrário, nesta exposição”. Vasco Estrela elogiou o trabalho e empenho de Luiz Oosterbeek e do seu antecessor, Saldanha Rocha, pelas mãos de quem o Museu muito tem conseguido. Para Vasco Estrela “é hoje consensual que este projecto pela dimensão que atingiu, pelo potencial de crescimento que encerra, deverá ser visto e apoiado muito para lá da escala municipal, sob pena de se perder grande parte do trabalho já feito”.

Luiz Oosterbeek, Director do Museu explicou que “hoje fechamos um ciclo e iniciamos a terceira fase do projecto de Mação, iniciado em 2002. Nos últimos 18 meses, o Museu de Mação/CMM coordenou uma parceria europeia (GESTART) que discutiu a relevância da gestualidade na criação artística e a relação de ambas com a manufactura. Este projecto incluiu diversas realizações (exposições, seminários, performances, concertos, etc.) tendo envolvido cerca de 100.000 pessoas em 4 países (PT, ES, UK e IT).”

Referiu ainda que “podemos, se nos articularmos bem, consolidar em Portugal um centro internacional de referência em Humanidades, vinculado directamente à perspectiva do congresso mundial que o CIPSH e a Unesco vão realizar em 2017. O facto de termos criado o ITM no Brasil alargou as nossas possibilidades. O espírito de rede, o papel crucial do poder público municipal com visão estratégica, a capacidade fundamental do poder central em potenciar as  relações institucionais no plano nacional e internacional ajudando a fazer convergir os recursos financeiros, a importância de envolver o sector privado, a forte ligação ao ensino superior de Portugal e de Espanha (com diversas universidades, além do IPT, a terem inserido Mação como seu centro de formação – incluindo as Universidades de Extremadura e de Córdova)”.

Sobre a nova exposição referiu que “o gesto é, na evolução humana, a base, o motor, do comportamento humano e das suas competências cognitivas. Aqui dentro iremos ver, daqui a pouco, diversos gestos, uns a desenhar grandes paisagens, outros a construir detalhados objectos, outros ainda a criar formas de representação e de expressão. O gesto está-se hoje a perder, com a era digital, e isso constitui um enorme perigo e abre espaço a uma crescente alienação, que só a reintrodução da gestualidade nos programas escolares e nas actividades lúdicas poderá travar.”

A Exposição “Do Gesto à Arte: criar, fazer, comunicar”, aparece no âmbito do projecto Gestart – Gestos Artísticos revisitando a diversidade e a convergência na Europa, programa apoiado pela Comissão Europeia. O projecto GESTART tem vindo a discutir a relevância do gesto na constituição da humanidade, na dupla dimensão de construção das identidades e de projecção de materialidades (funcionais e artísticas).

Obrigatório visitar!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *