Sociedade, Torres Vedras

Torres Vedras com estratégia para adaptação às alterações climáticas

_FPC0148A Câmara Municipal de Torres Vedras assinou, no passado dia 15 de janeiro, um acordo de parceria que tem como objetivo estabelecer uma estratégia municipal de adaptação às alterações climáticas, no âmbito do projeto ClimAdPT.Local.

Será elaborado um diagnóstico das vulnerabilidades climáticas de cada município que integra este projeto, 26 no total, e definida uma estratégia local em cada um. O passo seguinte será integrar e aplicar as medidas nos vários planos das autarquias, ao nível da gestão do território, respondendo da melhor forma a eventuais eventos extremos de seca, incêndios florestais, ondas de calor, inundações, entre outros episódios do foro climático.

Parte do projeto assenta na formação de técnicos municipais, no âmbito da adaptação às alterações climáticas, ao nível local e na participação da Câmara no processo que visa a criação da Rede de Municípios de Adaptação Local às Alterações Climáticas.

O consórcio responsável pelo ClimAdaPT.Local é constituído por entidades portuguesas e norueguesas (académicas, empresas, ONG e municípios) envolvidas em estudos, elaboração de estratégias e implementação de ações de adaptação, assim como no planeamento e gestão do território ao nível municipal e regional.

O projeto ClimAdaPT.Local está integrado no Programa AdaPT, criado para apoiar o desenvolvimento de projetos de adaptação às alterações climáticas em Portugal. A sua implementação foi orientada pelos termos estabelecidos no Memorando de Entendimento entre Portugal, Noruega, Islândia e Liechtenstein e, como tal, segue o Regulamento do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu (EEA Grants) 2009-2014.

O programa foi ainda desenvolvido tendo em conta as necessidades e as prioridades definidas na Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC). O Programa AdaPT é gerido pela Agência Portuguesa do Ambiente, enquanto gestora do Fundo Português de Carbono (FPC) e é cofinanciado a 85% pelo EEA Grants e a 15% pelo FPC, sendo o projeto ClimAdaPT.Local de um milhão e meio de euros.

Informação também disponível em: www.cm-tvedras.pt climadapt-local.pt

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *