Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Comemorações dos 500 anos da atribuição dos Forais Novos com balanço positivo na Póvoa de Lanhoso

Inauguracao de Cruzeiro em S Joao de Rei 1Um Congresso, uma Feira Quinhentista, uma Conferência e uma inauguração são alguns dos momentos que marcaram as comemorações, entre 4 de janeiro e 25 de dezembro de 2014 (datas da outorga dos Forais por El-Rei D. Manuel aos concelhos de Lanhoso e São João de Rei, ambos no ano de 1514), dos 500 anos da atribuição dos Forais Novos no Concelho da Póvoa de Lanhoso. O balanço é positivo.

“Vivemos um ano de 2014 todo ele evocativo, onde a nossa memória foi relevada. Penso que demos um contributo importante para que a nossa história e a nossa identidade não fossem esquecidas. E procurámos levar aos mais novos essa mensagem de que um povo sem história é um povo sem alma”, começa por considerar o Vereador para a Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Armando Fernandes.

Foram diversas as propostas ao longo do ano que visaram assinalar estas datas. “Não podemos quantificar os custos globais com as comemorações dos 500 anos dos Forais Novos pela simples razão de que procurámos adaptar as atividades culturais programadas para o ano de 2014 à temática quinhentista. E isso permitiu-nos ter um vasto leque de iniciativas sem que aportassem custos adicionais”, explica aquele responsável.

A Comissão Executiva das Comemorações, representativa das forças vivas do concelho, foi presidida pelo Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e integrou os agrupamentos de escolas da Póvoa de Lanhoso e Gonçalo Sampaio, a EPAVE, a Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso e a Junta de Freguesia de S. João de Rei. “A Junta de Freguesia de S. João de Rei, na pessoa do seu presidente, o Arq. Paulo Macedo, associou-se à Câmara Municipal nesta evocação, desde a primeira hora. E o Cruzeiro que fez questão de inaugurar no dia 25 de dezembro deixa para a posteridade a referência de que esta terra também teve o seu Foral e foi sede de concelho”, afirma ainda o Vereador.

 

Ano muito preenchido.

As comemorações começaram no dia 4 de janeiro de 2014, altura em que a Câmara Municipal promoveu uma Sessão Solene de Abertura. O programa para esse dia contemplou ainda a cerimónia do Hastear da Bandeira e a conferência “Os Forais Novos Manuelinos e o seu significado na organização político-administrativa portuguesa” pelo Professor Doutor José Viriato Capela. Na oportunidade, foi apresentado o calendário das comemorações, que procuraram envolver a comunidade, através das escolas e das associações.

Em março, realizou-se a Festa de Carnaval para cerca de 300 pessoas de IPSS’s e Centros de Convívio e as entidades participantes foram desafiadas a comparecer com os seus utentes vestidos  com roupas referentes à época do foral  atribuído no séc. XVI. A mesma temática marcou a realização do Cortejo Histórico e Etnográfico de S. José com perto de 30 quadros alegóricos, cerca de 300 figurantes a percorrer as principais artérias da Vila Povoense e com uma multidão a assistir.

Em maio, entre 15 e 18, aconteceu o momento alto das comemorações com o Congresso “Forais Novos Manuelinos – História e futuro do município e municipalismo português”, em que, para além de conceituados investigadores de diferentes áreas do conhecimento, esteve presente o Secretário de Estado da Administração Local, Leitão Amaro. Este Congresso permitiu uma abordagem sob os pontos de vista histórico, político-administrativo e histórico-documental.

“Foral Manuelino” é como se designou a mostra que esteve na galeria de exposições do Theatro Club. Pela primeira vez, esta exposição foi exibida e nela pôde ser visualizada a imagem de um original da Carta de Foral, cedida pela Fundação Casa de Bragança. Destaque ainda para a realização da Feira Quinhentista, em parceria com a Associação de Artesãos da Região do Minho, que trouxe animação para o coração da Vila Povoense. Na mesma altura, estreou a peça “1514”, uma comédia quinhentista produzida pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso que teve a particularidade de ter como atores funcionários da autarquia e jovens Povoenses. Esta encenação esteve em itinerância por concelhos como Mondim de Basto e Amares, para além de ter percorrido diferentes freguesias do nosso concelho. Em dezembro, foi ainda apresentada aos seniores das IPSS’s e Centros de Convívio no âmbito da Festa de Natal. A Igreja Paroquial de São João de Rei esteve cheia para o concerto de Música Antiga, que foi a proposta para a noite de 15 de maio. Este espetáculo contou com a colaboração da ESMAE – Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo e com o apoio à produção da Comunidade Intermunicipal do Ave. Realizou-se ainda o Concurso de Eco Espantalhos em que participam 13 entidades, com 14 exemplares.

No mês de dezembro, as comemorações findaram com uma sessão evocativa do Foral Novo com a participação de Sandra Gonçalves e de Manuel Sousa, na Igreja de São João Baptista de Rei na freguesia de S. João de Rei, complementada com a realização de um concerto de Natal pelo Quinteto de Metais de Calvos e com a inauguração do Cruzeiro evocativo dos 500 anos do Foral Novo de D. Manuel I ao Concelho de São João de Rei, no Largo do Outeiro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *