Nelas

Evocação do Combate de Naulila em Vale de Madeiros, com atribuição do nome Capitão Homem Ribeiro a uma rua da localidade de Nelas

Cartaz_combate naulila1Passados 100 anos é o momento de, com respeito e gratidão, evocarmos a Memória dos Combatentes de Naulila.

No âmbito da Evocação do Centenário do Combate de Naulila, o Município de Nelas, a Junta de Freguesia de Canas de Senhorim e a Liga dos Combatentes (Núcleo de Viseu), promovem uma homenagem ao Capitão Artur Homem Ribeiro (natural de Vale de Madeiros, Freguesia de Canas de Senhorim, Concelho de Nelas) homenageando-o na sua terra de naturalidade com a atribuição do seu nome a uma rua da localidade junto à casa que foi do Capitão, Rua Direita, e com a apresentação do livro “O Combate de Naulila (18 de Dezembro de 1914). A cobiça de África ou um prelúdio para duas guerras” da autoria de Coronel Pedro Esgalhado, com prefácio de Coronel Luís Paulo Sodré Albuquerque e co-edição de Quartzo Editora e Núcleo de Viseu da Liga dos Combatentes.

A Comemoração tem lugar no próximo dia 20 de Dezembro, pelas 10h00, em Vale de Madeiros, freguesia de Canas de Senhorim, com a recepção às Entidades convidadas na sede do Sport Vale de Madeiros e Benfica e culmina pelas 12h30 junto ao Monumento aos Combatentes em Canas de Senhorim, com Cerimónias Militares de Homenagem aos Combatentes de Naulila.

Resenha Histórica _Em Agosto de 1914 é organizado em Viseu, no Regimento de Infantaria 14, o 3º Batalhão de Infantaria 14, constituído por voluntários provenientes de 23 regimentos espalhados pelo território nacional que juntamente com outras forças integrou as forças expedicionárias ao Sul de Angola (quase 1.000 homens), comandadas pelo Tenente-Coronel Alves Roçadas, para defesa desta província e manutenção da soberania de Portugal das ameaças alemãs provindas da Damarelândia (actual Namíbia), então colónia alemã.

Em 18 de Dezembro de 1914, forças alemães invadem o Sul de Angola, atacando o Forte de Naulila, guarnecido, entre outras forças de Artilharia e Cavalaria, por militares da 9ª e 12ª Companhia do RI14, ficando conhecido na história militar como “O combate de Naulila. Desse combate os portugueses tiveram as seguintes baixas: mortos – 3 oficiais, 54 praças europeias e 12 praças indígenas; feridos – 5 oficiais, 61 praças europeias e 10 praças indígenas; prisioneiros 5 oficiais e 34 praças europeias. Os alemães tiveram as seguintes baixas: mortos – 12 praças; feridos – 10 oficiais e 20 praças.

Tombaram no campo da batalha o Capitão Artur Homem Ribeiro, Comandante da 9ª Companhia, o Alferes Joaquim Maria Alves do 1º Esquadrão dos Dragões, o  2º Sargento Alberto Sena Mendes da Bateria Metralhadoras, o 1º Cabo José Luiz Botelho (9º Companhia), o Soldado José Viegas (12ª Companhia) e muitos outros, que caíram com Honra e Glória no cumprimento do seu dever de “Soldados de Portugal”.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *