Cultura, Trofa

Conto “Letras Caídas” de Maria Inês Cardoso venceu Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo 2014

O Conto “Letras Caídas” de Maria Inês Cardoso, de Proença-a-Nova foi o grande vencedor da edição 2014 do Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo, tendo recebido um prémio de 1500 euros.

Os vencedores das várias categorias em destaque no Concurso, foram revelados no passado dia 19 de novembro, durante as comemorações do 16º Aniversário de criação do Concelho, numa cerimónia realizada na Casa da Cultura da Trofa.

Além da presença do Executivo Municipal e de alguns elementos do júri de pré-seleção do concurso, participou também na cerimónia o escritor Jorge Velhote, convidado especial desta cerimónia, que juntamente com os escritores Ana Isabel Soares (Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I. P.), Valter Hugo Mãe e Pedro Seromenho constituíram o Júri final do Concurso.

Mas a cerimónia que relembrou a madrinha do Concurso Lusófono – Prémio Matilde Rosa Araújo, que tem a parceria do Instituto Camões teve como ponto alto a divulgação dos restantes vencedores 2014.

Assim, os contos ”O Sapato do Saci” de Maria Betânia Alves dos Santos, do Brasil, “A Cadeira de Ti Laia” de Chissana Mosso Magalhães, de Cabo Verde e “A Viagem de Luna” de Teresa Helena Vieira Cordato de Noronha, de Moçambique, foram distinguidos com Menções Honrosas.

Já o Prémio Melhor Ilustração Original 2014, no valor de 500 euros distinguiu o trabalho de Alexandra Maria Queirós de Brito, do Porto e o Prémio Lusofonia 2014, no valor de 400 euros, foi para o Conto “Salticos e as cenouras” de Mafalda Luísa Leiria Bernardes da Silva, de Évora.

De salientar que a edição do Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo deste ano, contou com um total de 283 participantes, oriundos dos vários países de língua oficial portuguesa como Brasil, Timor, Moçambique, Cabo Verde e Angola, além de Portugal.

A encerrar a sessão, o Vereador da Cultura da Câmara Municipal da Trofa, Renato Pinto Ribeiro, deixou os parabéns aos premiados e lembrou importância desta iniciativa cultural, de âmbito internacional, e salientou que “o simples facto de existir um Concurso desta natureza na Trofa, que começou em 2002 como concurso nacional, e se estendeu depois já em 2010, a todos os países de língua portuguesa, que já recebeu mais de 3300 contos a concurso, que já publicou vários livros, que já lançou inúmeros escritores de sucesso, que já encantou diferentes gerações de Trofenses e de Portugueses, revela como é crucial estimar e reconhecer a massa crítica e criativa não só do nosso Concelho, mas de todos aqueles que se expressam em português”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *