Castro Verde, Cultura

Castro Verde volta a projetar com o selo DocLisboa

Castro Verde volta a projetar com o selo DocLisboa. Nos dias 19 e 26 de novembro, no âmbito da parceria estabelecida  com a APORDOC – Associação pelo Documentário, estarão em exibição em Castro Verde através da extensão do festival, o documentário “Pára-me de repente o Pensamento” e as curtas “Metáfora ou a Tristeza virada do Avesso” e “Teares”.

“Pára-me de repente o Pensamento” , agendado para dia 19 de novembro, é a terceira longa metragem documental de Jorge Pelicano, autor de “Pare, Escute e Olhe” ou “Ainda há Pastores?”. O documentário é um relato da vida que se repete num hospital psiquiátrico e das suas rotinas, vivenciadas por um ator que procura a sua personagem para uma peça de teatro, sendo os utentes parte do processo de construção do seu personagem.

A 26 de novembro serão exibidas as curtas “Metáfora ou a Tristeza virada do Avesso”, de Catarina Vasconcelos, e “Teares”, de Mónica Baptista.

A primeira é uma história familiar como metáfora da revolução e da história de um país, distinguida como Melhor Curta-Metragem Internacional pelo “Cinema du Réel”, importante festival de cinema documental de Paris. O filme tem por base a correspondência entre um irmão e uma irmã, em pleno aniversário da morte da mãe, conduzindo-os numa viagem ao passado, para compreender o Portugal revolucionário de há 40 anos atrás, o tempo e o país em que a sua mãe vivia.

“Teares”, por sua vez, é uma abordagem à Barragem de Castelo de Bode, na bacia do rio Zêzere, construída no ano de 1945, mas também à ancestral prática de tecer ali representada por três mulheres nascidas na mesma década da construção da barragem.

 

As sessões DocLisboa estão agendadas para as 21h30, no Auditório do Fórum Municipal. 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *