S. João da Madeira, Sociedade

O que é que a ciência pode fazer pelas cidades? – conferênci​a em S. João da Madeira

Escola JSC - SJMTrês sanjoanenses ligados à ciência falam sobre o tema na Escola João da Silva Correia, em S. João da Madeira, nesta sexta-feira, 31 de outubro, às 21h30, com entrada livre.

A professora de bioquímica Fátima Martel (Faculdade de Medicina do Porto), o astrónomo Nuno Cardoso Santos (Faculdade de Ciências da Universidade do Porto) e o investigador Patrício Soares da Silva (Laboratórios BIAL) vão ajudar a responder à pergunta “O que é que a ciência pode fazer pelas cidades?”, numa conferência com moderação da jornalista e animadora de rádio Joana Costa, também natural da cidade

Esta é a quinta conferência do ciclo Industrial “Industrial – Uma cidade em 30 anos”, que assinala o 30.º aniversário da sua elevação a cidade, com uma reflexão sobre a história de S. João da Madeira – em especial das últimas três décadas – e uma visão multifacetada sobre o seu futuro.

 

Qualidade de vida e cinema em novembro

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de S. João da Madeira comissariada pelo jornalista sanjoanense Amílcar Correia, que será o moderador da última conferência do programa, agendada para 7 de novembro e que conta com a presença do arquiteto Sidónio Pardal e do antigo ministro Valente de Oliveira, dois sanjoanenses que vão falar sobre a qualidade de vida nas cidades, numa sessão a realizar no Salão Nobre da Câmara Municipal de S. João da Madeira.

O programa do ciclo Industrial inclui ainda, no dia 15 de novembro, nos Paços da Cultura de S. João da Madeira, uma retrospetiva da obra do jovem cineasta sanjoanense André Gil Mata, cuja primeira longa-metragem – “Cativeiro” – tem colecionado prémios nos últimos dois anos, nomeadamente no Doclisboa, em Cannes e no Festival de Curitiba.

 

Exposições para ver em diferentes espaços da cidade

Também no âmbito deste ciclo comemorativo, encontra-se patente até 5 de novembro, na galeria dos Paços da Cultura, uma exposição de pintura de José Emídio, artista plástico natural de Matosinhos, mas ligado a S. João da Madeira precisamente desde o ano em que foi elevada a cidade (1984)

Até dezembro, é igualmente possível visitar a exposição “Marcas da Memória”, constituída por três núcleos dedicados a outras tantas marcas históricas de S. João da Madeira e divididos por diferentes espaços da cidade: “Sanjo”, no Museu da Chapelaria; “Oliva”, na Oliva Creative Factory; “Viarco”, na Fábrica de Lápis Viarco

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *