Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Póvoa de Lanhoso assinala Dia Nacional dos Castelos com exposição

Entrada do Castelo de LanhosoPara assinalar o Dia Nacional dos Castelos (7 de outubro), o Município da Póvoa de Lanhoso vai ter patente no Castelo de Lanhoso uma exposição de Instrumentos Medievais de Tortura.

Nesta mostra de instrumentos de tortura e execução que vai agora ser exposta no Castelo de Lanhoso, vão ser exibidas réplicas de instrumentos como a forca, a cadeira inquisitória, a guilhotina, algemas, a berlinda e o açoite, de entre muitos outros. A exposição abre no dia 7 de outubro, pelas 10h00, e fica patente ao público até 2 de novembro. Resulta de uma parceria com a Associação de Artesãos da Região do Minho.

“Para além dos objetivos próprios desta exposição, pretendemos assinalar o Dia Nacional dos Castelos e levar a comunidade a tomar consciência da riqueza do nosso património. Nem todos os territórios se podem orgulhar de ter um Castelo e o nosso é realmente único, pois ao longo dos seus quase mil anos de existência tem sido testemunha de importantes momentos da nossa História, como o período ligado à fundação da nossa nacionalidade e mesmo o período ligado à Inquisição, que é aqui retratado”, considera o Presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista. “Como Município ‘Mais Familiarmente Responsável’, com fortes preocupações de intervenção social e de sensibilização aproveitamos para trazer à memória ou ao conhecimento de quem visitar esta exposição um período que não queremos que se repita, pois repudiamos qualquer forma de violência”, destaca ainda o autarca Povoense.

O Vereador para a Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Armando Fernandes, destaca outros objetivos desta mostra. “Esta exposição vai de encontro àquilo que é a estratégia da Câmara Municipal para a divulgação e valorização do nosso património. Vamos procurar levar esta exposição ao conhecimento dos alunos das nossas escolas, sensibilizando-os para uma visita. Será uma forma de tomarem contacto com um período negro da nossa história”, refere. Este responsável salienta ainda a colaboração com uma entidade regional. “Gostava de relevar a disponibilidade da Associação de Artesãos da Região do Minho para a realização desta mostra de instrumentos de tortura. Sem esta parceria seria para nós muito difícil poder promover esta exposição num local único como é o Castelo de Lanhoso”, conclui.

A História mostra-nos que o homem é um ser contraditório, capaz de atos de grande sensibilidade e compaixão, mas que também manifesta, muitas vezes, uma enorme capacidade para perpetrar o mal.

Durante a Idade Média, foram concebidos vários instrumentos utilizados nos interrogatórios judiciais e inquisitoriais, destinados a punir aqueles que haviam cometido qualquer tipo de crime e para castigar os hereges e com isso provocar o medo, infligir a dor e mesmo causar a morte.

As penas eram aplicadas em público, para servir de exemplo, tornando-se autênticos espetáculos para as multidões que os presenciavam, podendo ser os condenados queimados na fogueira ou morrer pela forca.

Fica o convite para vir conhecer um período conturbado da história, razão pela qual, ainda hoje, a Idade Média é considerada por muitos como a Idade das Trevas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *