Cultura, Trofa

A MAIOR RETROSPETIVA DE JOSÉ SARAMAGO na Trofa

SARAMAGOA grandeza literária de José Saramago, o nosso único nobel da Literatura, encontrou no cinema um veiculo privilegiado para atingir áreas mais vastas de público. Na mesma altura em que é lançado o seu último livro, “Alabardas, Alabardas”, a primeira edição do Festival Internacionl de Cinema e Literatura da Trofa – CineTrofa, torna-se um fórum cultural onde a literatura, o cinema e a pintura se conjugam para homenagear um dos grandes vultos literários do séc. XX.

No espaço inusitado mas magnífico que é a nova e futurista estação de comboios da Refer da Trofa, o artista Agostinho Santos partilha uma parte significativa do seu trabalho de interpretação em tela da obra e dos personagens de Saramago. Por isso mesmo, antecipando a abertura ao público da referida exposição, gostávamos de convidar o V. Órgão de Comunicação Social a marcar presença na apresentação exclusiva aos media que decorrerá no dia 30 de setembro com o seguinte programa:

14h30: Ponto de encontro na Estação de S.Bento, Porto

14h45: Jornalistas e organização viajam de comboio até à Estação da Trofa e durante o trajeto será realizada uma conferência de imprensa.

15h20: Chegada à Estação da Trofa, onde será feita uma visita guiada à Exposição.

A arte vai ao encontro do público, prometendo surpreender até os mais distraídos.

A acompanhar a exposição é editado um luxuoso catálogo onde a par das fotografias e de textos do próprio Saramago e do jornalista e escritor Sérgio Almeida, encontramos a reprodução das obras expostas e de fotografias inéditas de Saramago no atelier de Agostinho Santos.

A exposição intitulada “Itinerário da Inquietação” é inaugurada oficialmente dia 1 de outubro às 11h, na Estação Ferroviária da Trofa.

A faceta cinematográfica da obra de José Saramago vai ser debatida com a apresentação da mais completa mostra de filmes adaptados dos textos e da vida do escritor.

Curiosa é a atracção de realizadores de renome internacional como Georges Sluizer, Fernando Meirelles e Denis Villeneuve que adaptam, respectivamente, “Jangada de Pedra”, “Ensaio sobre a Cegueira” e “O Homem Duplicado”.

Adaptar ao cinema pode ser, por vezes, trair a obra literária, mas a verdade é que José Saramago sempre se mostrou agradado com o resultado final, e desde sempre deu ampla liberdade criativa aos cineastas para transmitirem a sua visão.

Realizadores portugueses como António Ferreira e Miguel Gonçalves Mendes também se sentiram fascinados, “Embargo” de António Ferreira adapta um texto menos conhecido do autor, enquanto Miguel Gonçalves Mendes partilhou longos pedaços de vida com o casal “José e Pilar” de que resultou uma emocionada biografia e um multipremiado filme.

Entre 1 de outubro e 16 de novembro, a Trofa vai ser o centro do reconhecimento nacional a José Saramago.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *