Cultura, S. João da Madeira

Ecos Rock regressa a 3 e 4 de outubro a S. João da Madeira

image001Guitarras ao alto! O Ecos Rock regressa nos próximos dias 3 e 4 de outubro, para a sua 7ª edição, que se realiza na Sala dos Fornos da Oliva Creative Factory, em S. João da Madeira. Depois de um ano de interregno, o mítico festival de bandas de garagem de sanjoanenses, promovido pela Ecos Urbanos, volta para duas noites de muito power, assinalando o 17º aniversário desta associação.

As They Come são os responsáveis por abrir as hostilidades na noite de sexta-feira 3, pelas 22 horas, com o seu “motorcycle rock”, de claras tendências stoner rock e hardcore. A noite prossegue com os One Step to Fall, de metal alternativo, onde se distingue o metalcore. Seguem-se os Soul of Anubis, banda formada há quatro anos, dentro do espectro do metal progressivo. Os Redemption, trio formado no início do ano, com elementos ex-Eak e ex-Wild Tiger Affair, fecham a primeira noite Ecos Rock, numa linha sludge, post metal e experimental, levantando a ponta do seu ep de estreia, “We all die the same”, a lançar no final do ano.

Navegando entre o indie rock, o folk e a indie pop, de melodias dóceis, os Queen Captain Among the Sailors são um dos destaques da noite de sábado, mais melódica. Os concertos começam às 22 horas, com a estreia dos Sally and the Rubies, com quatro elementos e um convidado em palco, músicos de proveniências variadas como Revolution Within ou Creolina. Rock’n’roll, os Mombaza by Night tomam, entretanto, a cena, para apresentarem o seu ep de estreia “By Night”, recentemente gravado. O encerramento do festival cabe aos Distant Ship, uma viagem influenciada pelas sonoridades rock e hard rock puro dos 70’s e 80’s.

 Envolvimento da comunidade jovem

 “Em colaboração com as bandas locais, o Ecos Rock procura promover os jovens músicos sanjoanenses e os seus trabalhos, assim como incentivar a criação artística no concelho, numa lógica de corresponsabilização, pela construção e pelo sucesso do festival”, explica Catarina Fernandes, presidente da Ecos Urbanos. A partir da “exploração do contexto da música rock, metal, hardcore, indie ou experimental, privilegia-se o desenvolvimento de trabalho comunitário e cria-se um contexto recreativo, que abrange o público jovem”, acrescenta. O festival envolve ainda ativamente, na sua produção e divulgação, os jovens utentes da associação, nomeadamente das famílias acompanhadas pelo Centro Comunitário. O SICAD (Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências) marcará presença a fazer redução de riscos.

O bilhete diário custa 2 euros e o passe para os dois dias 3 euros. Os proveitos revertem para a campanha “Liga-te à corrente”, para que a associação possa amplificar a sua capacidade de trabalho, através da aquisição de equipamento de som e luz, indispensável à sua programação cultural.

A Câmara Municipal de S. João da Madeira e a Oliva Creative Factory são os parceiros estratégicos do evento.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *