Portimão, Turismo

Festival da Sardinha atraiumais de 45 mil pessoasà zona ribeirinha de Portimão

Festival da Sardinha 1 - D_R_Constituiu um sucesso em toda a linha a edição deste ano do Festival da Sardinha, que entre 13 e 17 de agosto atraiu mais de 45 mil pessoas à zona ribeirinha de Portimão, onde não faltou a boa música e animação para toda a família.

 

Em termos comparativos com o período homólogo do ano passado, os seis restaurantes participantes no evento (À Ravessa, Meco, Ú Venâncio, Casa Balau, Forte e Feio, Zizá e Retiro do Peixe Assado) registaram um incremento de procura, com destaque para o “Prato Festival”, composto por uma fatia de pão, quatro sardinhas, batata cozida e salada à algarvia.

 

Também a sardinha no pão teve uma grande procura, verificando-se a venda de cerca de meia tonelada de sardinhas nos dois espaços existentes, a cargo do GEJUPCE – Gil Eanes Juventude Portimonense Clube e do Boa Esperança Atlético Clube.

 

Outro aspeto de realce relacionou-se com a qualidade da sardinha vendida ao longo do evento, facto reconhecido unanimemente pelos muitos consumidores que procuraram o mais afamado pitéu gastronómico de Portimão.

 

Os espaços para venda de bebidas/cafés – cuja exploração esteve a cargo da Associação Juvenil “O Infante”, Clube de Taekwondo de Portimão, Clube Recreativo e Desportivo de Chão das Donas e Núcleo de Portimão da Cruz Vermelha Portuguesa – registaram igualmente bom movimento, sendo de sublinhar que a organização não cobrou quaisquer custos às coletividades envolvidas, como forma de apoiar o associativismo local, que esteve na origem e sempre participou empenhadamente no Festival da Sardinha.

 

A nível musical, largos milhares de pessoas aplaudiram todas as noites os artistas e as bandas que passaram pelo palco principal, junto à antiga Lota, nomeadamente José Cid, Os Azeitonas, Quim Roscas & Zeca Estacionâncio e Banda Pau d’Arara, sem esquecer o destaque concedido à prata-da-casa, como foram os casos das bandas Sabrosas Funk e La Plante Mutante e da cantora Rosa Martins.

 

Em paralelo, todos os dias atuaram ao longo da zona ribeirinha de Portimão ranchos folclóricos e acordeonistas, enquanto no coreto junto à Casa Inglesa a animação musical, a cargo da Junta de Freguesia de Portimão, contou com a fadista  Teresa Viola, a música popular dos S.O.S., o tributo aos Beatles pelo grupo Come Together e as atuações do Projecto 70 e da Simple Song Band.

 

Complementando a oferta gastronómica e o cartaz musical, em todo o eixo da zona ribeirinha houve diversos stands para empresas ligadas à restauração, bebidas e doçaria, não faltando uma pequena mostra de artesanato, com alguns artesãos a trabalhar ao vivo, e uma mostra de antiguidades, com loiças, pratas, relógios, pratas, joias, selos e outros artigos.

 

Toda essa animação contou com os apoios da Junta de Freguesia de Portimão, Capitania do Porto de Portimão, Administração do Porto de Sines e Algarve, do Turismo do Algarve e do Turismo de Portugal, que assim se associaram ao Festival da Sardinha 2014, uma organização da Câmara Municipal de Portimão/Portimão Urbis, que teve o patrocínio oficial do Continente e os patrocínios da Delta Cafés e do Nosolagua.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *