Estarreja, Sociedade

Jovens vigiam as áreas florestais em Estarreja

DSC_0250wOs jovens trocam a praia e o descanso das férias pela vigilância da mancha florestal, que percorrem numa bicicleta todo-o-terreno.

 

22 estarrejenses vestem a camisola pela floresta e iniciaram a sua missão para este verão: vigiar as zonas florestais do concelho. O programa “Juntos pela floresta, todos contra o fogo no Concelho de Estarreja” é desenvolvido anualmente pela Câmara Municipal que ontem à tarde realizou a sessão de abertura desta 8ª edição, no Auditório da Biblioteca Municipal.

 

O Presidente da Câmara Municipal, Diamantino Sabina, enalteceu a vontade destes jovens que optam por passar as suas férias a trabalhar em benefício da comunidade, fazendo a vigilância das áreas florestais, e assim contribuindo para a redução da área ardida e do número de ocorrências. “Vale a pena continuar face ao ganho que temos e à ajuda que eles nos dão”, afirmou o autarca que realça também o espírito de cidadania e a cultura de defesa da natureza incutidos nestas gerações ao longo dos anos de implementação do programa, desde que foi criado em 2006, e que os jovens acabam por transmitir ao seu círculo familiar e de amigos. “A experiência é valorativa, eles reconhecem isso e querem voltar”, constata.

 

Com esta 8ª edição, o programa passa a alcançar um total de 202 jovens.

 

Durante este mês, as suas funções vão para além da vigilância. Têm ainda a incumbência de detetar lixeiras, recolher lixo, inventariar a rede viária florestal, recolhendo dados que irão enriquecer o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, ou inventariar pontos de água. A sensibilização das populações para os perigos e procedimentos corretos para um maior respeito e proteção da natureza é uma das tarefas realçadas por Diamantino Sabina. “Sensibilizar e dizer às populações aquilo que se deve e não deve fazer quando se está numa área florestal, isso é claramente importante. É pena que haja muito autismo relativamente aos cuidados que se deve ter com as nossas florestas”, lamenta.

 

Impedir fogos de maior dimensão

 

Com este reforço numa época de maior perigo de incêndio, a mancha florestal do concelho estará mais protegida. O Adjunto de Comando dos Bombeiros Voluntários de Estarreja, Altino Silva, referiu que “estes jovens têm dado uma boa ajuda na deteção que é muito importante para evitar um grande fogo”, destacando o seu papel na prevenção e sensibilização, para além de servirem de elemento dissuasor de eventuais atos criminosos. Em conclusão, Altino Silva não tem dúvidas que se trata de “uma boa aposta”.

 

Fábio Rafael, de Salreu, 19 anos, é um dos jovens repetentes neste projeto. As “boas experiências dos anos anteriores” levaram-no a participar pela terceira vez no “Juntos pela Floresta”. A sua vocação para atividades ao ar livre e a certeza de que está a realizar “um trabalho proveitoso para o Município” motivaram-no mais uma vez a vigiar a floresta.

 

Combater os descuidos contra a natureza continua a ser uma das bandeiras deste jovem. “Ver exemplos menos positivos leva-me a participar no projeto de maneira a combate-los e a tentar transmitir à população as boas práticas”. Fala do “cenário mais triste” que encontra sempre que percorre as zonas florestais neste período. “As pessoas deixam lixo em qualquer sítio, quando a cobertura de recolha é total. Todas as pessoas têm um caixote de lixo a meia dúzia de metros e não fazem uso, preferem deixar no meio da floresta”, lamenta.

 

Cruzar os braços seria o mesmo que aceitar estes atentados por isso na opinião do Fábio “é melhor fazer alguma coisa, do que nada fazer”, insistindo ano após ano na mudança, ainda que lenta, de mentalidades e comportamentos.

 

Pela primeira vez a participar no “Juntos pela Floresta”, Sandra Martins, de Avanca, 18 anos, promete fazer uma vigilância atenta e mostra-se preparada para atuar. “Gosto de ajudar, de voluntariado e é uma experiência nova para mim”.

 

Coordenado pela Câmara Municipal de Estarreja, o projeto conta desde a primeira hora com a colaboração dos Bombeiros Voluntários de Estarreja e da Guarda Nacional Republicana.

 

O projeto abrange 12 jovens por quinzena. As equipas irão vigiar a floresta até 13 de agosto, época normalmente mais quente e por isso mais suscetível à existência de fogos florestais. A sessão de encerramento do projeto está marcada para dia 14 de agosto, às 14:30.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *