Faro, Sociedade, Vila Real de Santo António

VRSA e Faro celebram 125º aniversári​o da chegada do comboio ao Algarve

Comboio presidencial_drA Fundação Museu Nacional Ferroviário (FMNF), a Câmara Municipal de Faro e a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António juntam-se, no próximo dia 1 de julho, a bordo do Comboio Presidencial, para comemorar os 125 anos da chegada do comboio ao Algarve.

 

A viagem terá início em Vila Real de Santo António, pelas 10h00, e, durante o percurso, estão previstos momentos de animação que levarão os passageiros em festa até ao seu destino, em Faro.

 

À chegada, os convidados serão conduzidos ao Museu Municipal onde será inaugurada a exposição «Um olhar sobre os caminhos-de-ferro do Algarve».

 

Através desta iniciativa simbólica, os municípios de Faro e de Vila Real de Santo António associam-se à FMNF celebrando um episódio relevante da história dos caminhos-de-ferro portugueses, numa comunhão estratégica entre cultura, lazer e desenvolvimento económico e social.

 

Aposta-se, assim, numa parceria que destaca a dinâmica da região, dando continuidade à imagem de marca que a fundação pretende associar ao Comboio Presidencial.

 

A viagem destina-se apenas a convidados, já que a FMNF se encontra numa fase de ensaio de um modelo de exploração do Comboio Presidencial enquanto produto turístico estratégico. Entre outros convidados, estão autarcas, empresários e fãs dos comboios.

 

Também durante o dia 1 de julho, entre as 15h00 e as 17h00, o público em geral terá a oportunidade de visitar o interior do Comboio Presidencial, que ficará em exposição na estação ferroviária de Faro.

 

 

Enquadramento histórico

 

Até a ferrovia chegar ao Algarve, os transportes faziam-se preferencialmente pela via marítima ou pelos caminhos terrestres existentes na região. O território encontrava-se praticamente isolado e a grande distância dos principais centros de decisão. A ferrovia, mais do que um sonho, era uma necessidade para a economia e para o bem-estar da sociedade algarvia. Na década de 60 do século XIX, o tema começa a ser abordado no Parlamento e a decisão de ligar o Alentejo ao Algarve pela linha ferroviária é votada favoravelmente.

 

A contratação das empresas e a adjudicação dos trabalhos são feitas, mas as obras param em virtude da gestão deficiente das verbas. Os trabalhos são retomados na década de 70 para dar emprego a mão-de-obra algarvia, que atravessava problemas graves de subsistência. Contudo, apenas na década de 80, e após alguma pressão de deputados algarvios e de verbas disponibilizadas pelo erário régio, arrancam novamente as obras que permitiriam ligar os poucos quilómetros que separavam a cidade de Faro ao resto do país.

 

O primeiro comboio chega em Fevereiro de 1889, no âmbito dos ensaios de linha. Somente a 1 de julho desse ano, com toda a pompa e solenidade, a capital algarvia celebra a chegada do primeiro comboio com serviço de passageiros. Esse momento histórico deu origem à publicação de um jornal com número único, com o título «A inauguração: Folha única, comemorativa do início da exploração do caminho-de-ferro do Algarve».

 

Só mais tarde, em 1906, Vila Real de Santo António seria beneficiada com a extensão da linha para sotavento, servindo-se assim uma das extremidades da região e aproximando esta via da zona de fronteira, tendo sido inclusivamente equacionada a travessia até Espanha, num projeto de internacionalização da rede ferroviária.

 

 

 

Sobre o comboio presidencial

 

Num projeto inédito em Portugal, a FMNF procedeu ao restauro global do Comboio Presidencial, tendo os seis veículos que formam a composição sido totalmente reabilitados.

 

Para além da revisão estrutural, procedeu-se à conservação e restauro de todo o património integrado, nomeadamente, ao nível da reconstituição dos interiores e da recuperação de revestimentos e equipamentos, a par da reprodução de alguns objetos em falta, em função de modelos existentes na década de 70, que coincide com o período final do uso do Comboio Presidencial enquanto tal.

 

Com cofinanciamento QREN – Programa Mais Centro e apoio financeiro do PIT – Programa de Intervenção no Turismo, do Turismo de Portugal, o restauro da composição presidencial teve início em 2009, tendo sido concluído em Fevereiro de 2013.

 

A iniciativa de concretizar os Passeios Presidenciais, após o notável projeto de restauro desta composição emblemática, tem assegurado o interesse de diferentes entidades, organizações desde a viagem inaugural, que teve lugar no final do ano passado, pelo que se prevê a sua exploração plena enquanto produto turístico para breve. Sempre que a programação de passeios o permita, o comboio ficará em exposição nas futuras instalações do Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *