Cultura, Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Póvoa de Lanhoso conheceu ponto alto das comemoraçõ​es dos 500 anos dos Forais Novos

Entrega do Foral na Feira QuinhentistaEntre 15 e 18 de maio, todos os caminhos foram dar à Póvoa de Lanhoso e ao ponto alto das comemorações dos 500 anos dos Forais Novos. A Câmara Municipal promoveu um rico programa cultural, no âmbito da realização do Congresso “Forais Novos Manuelinos – História do Município e Municipalismo Português”.

A recriação de uma Feira Quinhentista no centro da Vila da Póvoa de Lanhoso foi uma das propostas, promovida em colaboração com a Associação dos Artesãos da Região do Minho, que envolveu ainda recriações históricas e muita animação. Um dos momentos altos foi a entrega da Carta de Foral ao Senhor das Terras de Lanhoso, na tarde de 15 de maio, com a participação do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, e seu Executivo.

Centenas de pessoas assistiram à estreia da peça “1514”, na noite de 16 de maio. Trata-se de uma comédia quinhentista, que envolveu na produção e interpretação funcionários da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso assim como jovens Povoenses. A encenação ficou a cargo da diretora artística do Theatro Club, Maíra Ribeiro. Esta peça foi apresentada no largo em frente aos Paços do Concelho, estando disponível para itinerância.

A Igreja Paroquial de São João de Rei esteve cheia para o concerto de Música Antiga, que foi a proposta para a noite de 15 de maio. Este espetáculo contou com a colaboração da ESMAE – Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo e com o apoio à produção da Comunidade Intermunicipal do Ave. Este concerto foi interpretado pelo grupo “Arte Mínima”, pelo professor Pedro Sousa Silva na Flauta de Bisel e pelo professor Hugo Sanches na Alaúde e na Tiorba.

“Foral Manuelino” é como se designa a exposição que esteve patente na galeria de exposições do Theatro Club, entre 15 e 17 de maio. Pela primeira vez, esta exposição de fotografia esteve patente ao público e nela pôde ser visualizada a imagem de um original da Carta de Foral, cedida pela Fundação Casa de Bragança e que se encontra na Biblioteca D. Manuel II, no Palácio de Vila Viçosa. O exemplar municipal está em paradeiro desconhecido desde 1974/75.

De lembrar que o Congresso “Forais Novos Manuelinos – História do Município e Municipalismo Português” realizou-se entre 15 e 17 de maio, no Theatro Club, com uma qualidade científica assegurada pelos conferencistas de renome participantes.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *