Cultura, Póvoa de Varzim

O Mocho Sábio cativou os mais novos na Póvoa de Varzim

O Mocho Sábio cativou os mais novosFoi apresentado ontem, na Biblioteca Municipal Rocha Peixoto, o livro infantil O Mocho Sábio de Beatriz Lamas Oliveira.

Perto de uma centena de crianças da Escola E.B. 2/3 Dr. Flávio Gonçalves, divididas em duas sessões, assistiu à apresentação da obra, feita pela sua autora e ilustradora. Na plateia, também esteve Luís Diamantino, Vice-Presidente e Vereador da Educação e Cultura da Câmara Municipal, a assistir àquela que foi a última atividade da Festa do Livro e da Leitura que decorreu ao longo de todo o mês de abril.

A partir das aguarelas que pintou para ilustrar este 1º livro da Coleção Vida Selvagem, Beatriz Lamas Oliveira contou a história manifestando a sua preocupação com a Natureza e respeito pelo meio ambiente.

A autora deixou ainda uma mensagem sobre a importância dos livros e dos conhecimentos que transmitem: “os livros são um dos sítios dos quais podemos extrair conhecimentos, para além dos que são transmitidos pelos mais velhos. Os livros também consolidam esses saberes”.

O Mocho Sábio deixa precisamente essa lição que a autora quis transmitir aos mais novos: “o conhecimento traz felicidade”.

 

Beatriz Lamas Oliveira nasceu em Braga e licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa. Desenha, pinta e escreve desde a adolescência. O trabalho como médica nunca impediu outras atividades que lhe são essenciais para se sentir útil, viva e em estreita relação com a Natureza.

O seu primeiro romance, “O Inseto Imperfeito”, foi publicado pela Gradiva, em 1999. Desde os anos 80 até à presente data fez várias exposições de pintura, usando diferentes técnicas e materiais. Em Novembro de 2013 decidiu criar a Escrivaninha, Editora vocacionada para a Literatura para crianças e adolescentes. A Vida Selvagem foi o tema escolhido para a primeira coleção e nesta, O Mocho Sábio é o primeiro livro.

 

Sinopse do livro:

“Conta a história de um casal de mochos galegos, a Sancha e o Raimundo que estão apaixonados e escolheram um bonito local para viver mas a Sancha não consegue pôr os ovos e anda muito triste. O Casal tem um amigo sábio, o mocho Al-Kibir. O Al-Kibir vive numa casa muito misteriosa e especial, aprendeu a ler e adquiriu conhecimentos que se vão revelar muito úteis.

Outras aves amigas são os chapins azuis. Estes fazem família sem problemas.

Ratinhos do campo brincalhões vivem num celeiro abandonado celeiro faz parte da quinta onde vivem o casal Sancha e Raimundo.

Os mochos comem ratinhos do campo e isso torna-os animais apreciados pelos agricultores, pois demasiados ratinhos podem ser uma praga!

A história passa-se numa aldeia escondida na região entre Douro e Minho, ali há pessoas que sabem o que é o bem-estar animal e que observam a tristeza da Sancha. Sabem que aqui há um problema de saúde animal mas as pessoas não falam a língua dos pássaros e não podem ajudá-los diretamente.

Quem vai descobrir e resolver a origem da infertilidade da Sancha é o mocho Al-Kibir e depois disso o casal decide mudar de lar, quer dizer mudar de ninho. E a vida selvagem feliz vai de novo continuar o seu rumo, a Sancha e o Raimundo vão constituir família”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *