Cultura, Torres Vedras

Alice vai estar em Torres Vedras até ao final do ano

As hirainha-olga-nevesstórias e em especial a de Alice, aquela que ficou conhecida por ser de um tal “País das Maravilhas”, vão ser tema de um conjunto de exposições que serão inauguradas no próximo dia 16 de abril, em Torres Vedras, no âmbito de uma iniciativa intitulada Alice também mora aqui.

Na Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras vai estar patente a partir desse dia a exposição Um chá para Alice. Trata-se de uma mostra de ilustrações que foi já apresentada no Oxford Story Museum e na Fundação Calouste Gulbenkian (150 anos depois da história “Alice no País das Maravilhas” ter sido escrita por Lewis Carroll) que resultam do trabalho de 20 artistas de várias nacionalidades: Alain Gauthier (França), Anne Herbauts (Bélgica), Chiara Carrer (Itália), Dusan Kallay (Eslováquia), Iban Barrenetxea (Espanha), Joanna Concejo (Polónia), Klaus Ensikat (Alemanha), Lisa Nani (Itália), Lisbeth Zwerger (Áustria), Lucie Laroche (França), Maggie Taylor (Estados Unidos da América), Narges Mohamadi (Irão), Nelson Cruz (Brasil), Nicole Claveloux (França), Rebecca Dautremer (França), Suzy Lee (Coreia), Teresa Lima (Portugal), Vladimir Clavijo (Rússia), Anthony Browne (Inglaterra) e Helen Oxenbury (Inglaterra).

As ilustrações desta exposição transportam para diferentes episódios do livro “Alice no País das Maravilhas”. Numa espécie de “escrita paralela”, conceituados ilustradores, usando estilos, escolas, materiais, técnicas, cores, formas, texturas, relações volumétricas, influências culturais e interpretações muito diferentes, dão a ver a mesma velha história, contada por cada um de forma única e irrepetível.

Esta exposição tem como comissários Ju Godinho & Eduardo Filipe, sendo autores do seu projeto expositivo a Pedro Cabrito e Isabel Diniz, Arquitetos, e do seu design gráfico a Silva Designers! Envolve ainda a Fundação Calouste Gulkenkian, a VerPraLer e o Oxford Story Museum.

Um chá para Alice vai ser inaugurada no dia 16 de abril, pelas 18h.

Uma hora depois da inauguração desta exposição é inaugurada uma outra, essa na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino, intitulada Eu sou Alice. Prazer em conhecer Vossa Majestade, da autoria de Teresa Lima.

Como o roçar suavíssimo pelas pétalas ou folhas de um livro, esta exposição pretende que Alice, criatura do ar porque inventada por Lewis Carroll, mas que tem o condão de se deixar transformar em menina de franja soprando madeixa, pffff…, abandone  esse estranho “País das Maravilhas”, para ir morar num delicado serviço de chá. E tal como o Arganaz da história se viu dentro do bule, acompanhar-se-á Alice numa viagem que irá desde os motivos originais ilustrados por Teresa Lima para a Vista Alegre, até à separação das cores por meio da vetorização por pontos, à montagem das várias peças separadas cor por cor com o estilo pretendido pelo Departamento de Design da referida empresa, e ao estudo e montagem de lay outs para a produção, percebendo-se assim como a Técnica e a Arte dão as mãos para Alice acontecer, desta vez não nas páginas de um livro mas na porcelana.

Esta exposição conta com o apoio da Vista Alegre Atlantis.

Na mesma ocasião será também inaugurada, igualmente na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino, uma exposição de marionetas da autoria de Olga Neves intitulada Onde estão as Tartes?.

A propósito desta mostra refira-se que “as palavras foram para Carroll aquilo que a argila é para Olga Neves que, com esse material vivo, modelou com amor e prazer algumas personagens do 11.º capítulo de Alice no País das Maravilhas. E tal como Carroll jogou com as palavras, que utilizou para contar a história à sua pequena musa inspiradora, Alice Liddell, ao mesmo tempo que denunciava intrigas de poder, hierarquias sociais e sexuais, terrorismo escolar e religioso, valores morais e comportamentos bizarros, num afeto criador que investiu nas formas que deu às personagens, esta artista plástica reivindica uma Alice que caminha por um fio mas que é, ao mesmo tempo, claramente livre e ativa”.

Ainda na mesma ocasião será também inaugurada na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino uma exposição da autoria dos seniores participantes no projeto Clube Sénior da Câmara Municipal de Torres Vedras designada Pela Toca do Coelho. Nesta mostra é recriado o 1.º capítulo do livro de  Lewis Carroll “Alice no País das Maravilhas” em que a pequena Alice, essa menina pespineta e tagarela a flutuar entre o sonho e o sono, decide seguir um apressado Coelho Branco e inicia uma longa viagem toca abaixo. E seguindo a sua queda ir-se-á assim entrar no País longínquo da Infância.

Estas exposições, permitirão assim conhecer “Alice, essa menina criada por Lewis Carroll e posta em desassossego no País das Maravilhas – povoado de animais falantes, de um gato enigmático que deixa o sorriso pendurado pelas árvores, de um coelho branco apressado e pomposo que anda sempre a correr exibindo o seu colete, o seu leque e as suas luvas brancas, de um chapeleiro louco, de uma duquesa muito feia e, de entre muitos outros, a que não falta até uma rainha faminta de decapitações – que está agora em Torres Vedras”. Ir-se-á pois conhecê-la, acompanhando toda a loucura do seu livro e a riqueza do imaginário do seu criador. E tal como na história em que o seu pescoço cresce, cresce, também aqui os seus caminhos saem pela cidade fora criando um percurso poético entre a Fábrica das Histórias e a Galeria Municipal de Torres Vedras.

As mencionadas exposições estarão patentes em Torres Vedras até ao final do ano.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *