Cultura, Póvoa de Lanhoso

Concurso Literário António Celestino já tem vencedores – Póvoa de Lanhoso

Vice Presidente CMPL com vencedor categoria Publico em Geral 1Já são conhecidos os vencedores e as vencedoras deste ano do Concurso Literário António Celestino, instituído pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. A revelação dos seus nomes e a leitura dos seus trabalhos aconteceu no dia 2 de abril, numa sessão no Theatro Club, integrada no âmbito da Feira do Livro.

No “primeiro escalão”, foi vencedora Miriam Gonçalves; no “segundo escalão”, venceu Inês Pires; no “terceiro escalão”, o vencedor foi Bruno Freitas; no escalão “Secundário”, Joana Correia foi a vencedora; e, no escalão “Público em Geral”, foi vencedor José Abílio Coelho. Esta edição contou com cerca de uma centena de trabalhos.

A Vice-Presidente da Câmara Municipal, Gabriela Fonseca, encerrou a sessão. “Este Concurso tem uma elevada relevância não só na leitura e na escrita, mas também na valorização pessoal e cultural de cada um. Normalmente quem escreve bem é uma pessoa que lê”, salientou. “Que António Celestino seja um exemplo, uma referência a seguir. Quem sabe se através de participações como esta não surgirão novos “Antónios Celestinos?”, questionou ainda aquela responsável, felicitando as pessoas participantes, vencedoras ou não. “Continuem todos a fazer aquilo de que mais gostam, pois só assim serão felizes”, afirmou. Gabriela Fonseca agradeceu ainda a professores “todo o trabalho realizado no âmbito da leitura e da escrita e pelo incentivo que têm dado para que os jovens participem nesta iniciativa promovida anualmente pela Câmara Municipal”. Enalteceu também o trabalho colaborativo entre a Biblioteca Municipal e as Bibliotecas Escolares. Aos pais, deixou uma mensagem de encorajamento para que, mesmo em momentos difíceis, “nunca deixem de apoiar e de incentivar os filhos e de investir na educação dos mesmos, pois é o melhor investimento que podem fazer”.

O Vereador para a Cultura, Armando Fernandes, abriu a sessão, agradecendo a colaboração das Bibliotecas Escolares. “Todo o seu saber, dedicação e espírito empreendedor contribuem para que o sucesso deste evento seja muito mais que o mérito do concurso literário. É, acima de tudo, um apelo ao desenvolvimento permanente das nossas capacidades cognitivas”, referiu. Agradeceu ainda à esposa do escritor, por permitir que o evento continue a ter o nome de António Celestino, o qual, de acordo com Armando Fernandes, “para além de ter sido um grande poeta, um reconhecido crítico de arte e um exímio contador de estórias”, foi “anfitrião de personalidades tão relevantes como Jorge Amado ou Assis Pacheco, que, de outra forma não teriam conhecido e até relevado o nome da nossa terra”, deixando, por isso, o testemunho de gratidão do município. O responsável pela Cultura agradeceu ainda a participação dos jovens. “Comemoramos hoje o Dia Internacional do Livro Infantil e este Concurso Literário pretende também ser uma pequena semente no despertar do gosto pela escrita junto dos mais novos. Quem sabe se daqui não sairá um escritor consagrado ou até um prémio nobel?”, afirmou, passando a focar-se na estratégia para a cultura, que passa pela valorização daquilo que temos e daquilo que somos. Armando Fernandes apelou a que as pessoas se envolvam nas dinâmicas culturais em curso, “que passam pela revitalização do associativismo cultural concelhio, pela valorização das artes, pela fruição dos espaços. Esta dinâmica, centralizada neste Theatro Club, conta com recursos humanos capazes e empenhados em desenvolver um projeto cultural de integração com os povoenses”, destacou, de entre outras considerações.

A Diretora do Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio, Luísa Rodrigues Sousa Dias, também interveio, prestando homenagem aos jovens participantes e agradecendo aos professores de sala de aula e aos professores bibliotecários. “Agradeço-lhes reconhecidamente a todos [professores bibliotecários] pelo trabalho imenso que tiveram ao longo de todo o tempo e, em especial, nesta semana em que, em articulação com a Câmara Municipal, fizeram espetáculo em cada dia. Muito obrigada a todos pelo trabalho, pelo empenho e um abraço muito grande de parabéns para os escritores de palco e meio e para aqueles mais crescidos e para os pais dos escritores de palmo e meio, que hoje devem estar cheios de orgulho”, referiu de entre outras considerações.

Em representação do Agrupamento da Póvoa de Lanhoso interveio a professora bibliotecária Rosa Sousa. De entre outros aspetos, referiu que “ler é um hábito e os hábitos criam-se” e aludiu aos 800 anos da Língua Portuguesa. “É preciso apoiar a escola e melhorar o ensino do Português. Estamos aqui para honrar e impulsionar a nossa Língua, difícil, dizem os estrangeiros e os nossos alunos, mas enaltecida por figuras como Fernando Pessoa de quem todos nós conhecemos a frase ‘A minha Pátria é a Língua Portuguesa’ e também pelo cantor Caetano Veloso que intitula uma canção de ‘Língua’, que diz ‘Gosto de sentir a minha Língua roçar a Língua de um Luís de Camões’. Façamos como eles, tratemos bem a nossa língua, bem falando e bem escrevendo, o que se faz com muita leitura”, referiu.

Na sua intervenção, o vencedor da categoria “Público em geral”, José Abílio Coelho, manifestou a sua disponibilidade para ceder ao arquivo do município correspondência em sua posse entre António Celestino e conhecidos e reconhecidos nomes da literatura mundial.

A cerimónia, que contou com pessoas que participaram no Concurso Literário, pais, encarregados de educação e professores, teve animação musical dos K7OnTheRadio, que apresentaram temas alusivos à comemoração da Língua Portuguesa, de entre outros. As pessoas concorrentes que se encontravam no local receberam um certificado de participação. A sessão começou com a apresentação de um pequeno filme sobre a vida e obra do escritor Povoense, António Celestino.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *