Cultura, Póvoa de Lanhoso

Concurso Nacional de Teatro da Póvoa de Lanhoso consagrou “Macbeth”

Concurso Nacional de Teatro 2014 1“Macbeth” pelo Teatro de Carnide (de Lisboa) foi a grande vencedora da X edição do Concurso Nacional de Teatro da Póvoa de Lanhoso. A peça venceu seis das oito categorias em disputa, de entre as quais, melhor encenação e melhor produção (Prémio Ruy de Carvalho).

A cerimónia de encerramento realizou-se na noite de 1 de março, no Theatro Club, que foi palco da competição, que, durante cerca de um mês, reuniu nove companhias de todo o país.

A Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e o Vereador da Cultura, Gabriela Fonseca e Armando Fernandes, estiveram na sessão, que contou ainda com as presenças da Diretora da Federação Portuguesa de Teatro para o CONTE 2014, Anabela Teixeira, e do Diretor Cultural da Fundação INATEL, Rui Sérgio. A organização pertenceu à Câmara Municipal de Póvoa de Lanhoso, à Federação Portuguesa de Teatro e à Fundação INATEL.

Na sua intervenção, o Vereador da Cultura, Armando Fernandes, classificou de “excelentes” os espetáculos apresentados e deixou um primeiro agradecimento às pessoas que os proporcionaram. “Em nome da autarquia peço-lhes que aceitem o reconhecimento de quem teve a honra de vos receber. Bem hajam. Faço votos que levem um pouco da Póvoa de Lanhoso nos vossos corações”, referiu. Salientando que a cada ano que passa a fasquia vai subindo e a responsabilidade vai aumentando, o Vereador concluiu que “em boa hora o município da Póvoa de Lanhoso mergulhou nesta aventura com a Federação Portuguesa de Teatro e com a Fundação Inatel. Um casamento que tem dado frutos. Nas pessoas do Sr. Luís Mendes e do Dr. Rui Sérgio, quero endereçar às instituições parceiras a nossa gratidão na certeza de que teremos um longo caminho a percorrer na senda da valorização do teatro de amadores”.

Armando Fernandes agradeceu ainda o trabalho do júri e afirmou que independentemente dos vencedores, “o teatro de amadores foi valorizado e em nada fica a dever ao que é feito por profissionais”.

Ausente da cerimónia por ser o dia do seu 87º aniversário, Ruy de Carvalho, que empresta o seu nome ao galardão maior deste concurso, foi lembrado pelo responsável da autarquia. “Uma festa de família impediu-o de estar aqui hoje connosco como certamente seria seu desejo, mas fica registada também a gratidão do nosso município por tudo aquilo que nos tem proporcionado”.

“Redescobrir o nosso caminho”

Armando Fernandes abordou ainda a estratégia cultural do município, numa terra em que o teatro de amadores tem tradição. “António Francês, Lino Gravia, Fernando Abreu, Manuel Cardoso, Lino Macedo, Paula Abreu, etc, etc.. São estes apenas alguns dos muitos povoenses, que, num passado não muito longínquo, valorizaram a arte de Talma. Depois de um mais ou menos longo interregno, o projeto cultural da autarquia passa pelo reavivar desta arte, honrando aqueles que foram os grandes obreiros no século passado no nosso concelho”, considerou, explicando: “Estamos, neste momento, a redescobrir o nosso caminho, apostando neste espaço centenário como a âncora deste projeto, que se pretende agregador, envolvendo pessoas e coletividades de todo o concelho. Sabemos que quem faz está sempre sujeito à crítica. Mas preferimos assumir esse risco do que deixarmo-nos levar pela inércia”.

O Vereador da Cultura destacou ainda a criação de um grupo de teatro com funcionários municipais e que está a preparar a segunda grande produção para levar à cena em maio, para assinalar os 500 anos da atribuição do Foral por El Rei D. Manuel. “Não deve haver no país muitos municípios que tenham no seu seio trabalhadores que fazem teatro como grupo organizado. Nós temos.”.

Antes de terminar, referiu que o Theatro Club entrará em obras. “Aproveitando as casas contíguas a este Theatro, vamos avançar com a criação do Centro Interpretativo da Maria da Fonte num investimento superior a um milhão e meio de euros. Com este projeto pretendemos perpetuar a memória da nossa heroína e valorizar um conjunto arquitetónico da Arte Nova”.

Porque o Concurso Nacional de Teatro é também um elemento de divulgação do nosso concelho, Armando Fernandes aproveitou a proximidade das Festividades Concelhias (de 8 a 19 de março) para convidar os presentes a regressarem à Póvoa de Lanhoso.

A Diretora da Federação Portuguesa de Teatro para o CONTE 2014, Anabela Teixeira, também interveio. “Obrigada a todos que nos levaram para o mundo da fantasia, que fizeram com que nós sonhássemos com eles, em cada dia, em cada sexta-feira, em cada sábado, destas últimas semanas. Foi uma X edição muito especial”, salientou, de entre outras considerações.

Premiados:

Prestígio Personalidade (Prémio Fundação INATEL)

Carlos Paniágua

Prémio “Orlando Worm” para Melhor Desenho de Luz

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Menção honrosa:

Espetáculo “Prometo que não volta a acontecer”

Contacto – Companhia de Teatro Água Corrente (Ovar)

Melhor Cenografia

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Melhor Guarda-Roupa

Espetáculo “Milhões de Contos”

Pateo das Galinhas Teatro de Bico

Menção honrosa:

Espetáculo “O Galinho Vaidoso”

Grupo de Animação e Teatro “Espelho Mágico”

Melhor Interpretação Feminina

Rita Martins

Espetáculo “MacBeth”

Teatro de Carnide

Menção honrosa:

Daniela Serra

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Menção honrosa:

Isabel Baleiras

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Melhor Interpretação Masculina

João Gualdino

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Menção honrosa:

Manuel Ramos Costa

Espetáculo “Prometo que não volta a acontecer”

Contacto – Companhia de Teatro Água Corrente

Melhor Encenação

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Prémio Ruy de Carvalho (Melhor Produção 2014)

Espetáculo “Macbeth”

Teatro de Carnide

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *