Economia, Montijo, Sociedade

Carmonti retoma laboração com a inauguração das novas instalações no Montijo

carmonti_4A Carmonti retomou a laboração ontem (25 de fevereiro), seis meses depois do incêndio que consumiu parte das suas instalações, incluindo a totalidade da fábrica de transformação de carne. O presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, e os administradores da Carmonti inauguraram as novas infraestruturas, num ato simbólico de reabertura de portas desta histórica empresa do concelho do Montijo.

O presidente Nuno Canta expressou o orgulho do “Montijo em acolher este grande investimento. Ao reabrir as suas portas, a Carmonti transforma-se num espaço de criação de riqueza, de emprego, num local de desenvolvimento. É um símbolo do que queremos que seja o Montijo: um território dinâmico, desenvolvido e justo”.

O autarca relembrou que a “indústria de transformação de carne é hoje um dos elementos mais importantes da base económica do Montijo. Ter um grupo económico a investir na cidade é um exemplo de confiança e um apelo para que tenhamos a consciência da necessidade de desenvolvimento económico sustentável.”.

Sónia Ferreira, administradora da Carmonti, classificou o ato como “um momento muito especial. Há seis meses deparámo-nos com uma situação que pensámos não ter solução. Nestes seis meses conseguimos construir novamente a fábrica, começar a laborar e, tal como prometemos, assegurar todos os postos de trabalho”.

O futuro da Carmonti está já a ser projetado com a abertura, até ao final do ano, de uma nova nave industrial. “Estamos a ampliar a fábrica, vamos aumentar os postos de trabalho e a capacidade de produção. Com este crescimento, pretendemos alcançar novos mercados”, afirmou Sónia Ferreira.

Após os discursos oficiais, presidente da câmara, administradores e restante comitiva realizaram uma visita às novas instalações da Carmonti para conhecer, in loco, o investimento realizado nas infraestruturas e em novos equipamentos.

Esta reabertura da Carmonti surge após o incêndio, no dia 24 de agosto de 2013, que destruiu cerca de 6000 m2 das suas instalações, incluindo toda a fábrica de transformação de carne.

Desde que foi criada em 1985, que a Carmonti é uma empresa de referência do tecido empresarial do concelho de Montijo. Com um volume de negócios de aproximadamente 52 milhões de euros, a Carmonti abate 1300 porcos por dia, o que se traduz em mais de 500 toneladas de produtos, provenientes da transformação de carne de porco, enviados semanalmente para o mercado.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *