Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso com financiame​nto aprovado para Centro Interpreta​tivo Maria da Fonte

CIMF“Esta é uma grande vitória da Póvoa de Lanhoso”. As palavras são do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, a propósito da aprovação da candidatura ao ON2 para criação do Centro Interpretativo Maria da Fonte.

 

“Apostámos tudo neste projeto pois sabíamos que, se esta candidatura não fosse aprovada neste quadro comunitário, dificilmente poderíamos realizar esta obra. É uma vitória técnica, porque os serviços da autarquia foram inexcedíveis em preparar todas as peças quer do projeto de arquitetura quer dos procedimentos administrativos e uma vitória política, pois tivemos a capacidade para provar à CCDR-N a mais-valia deste projeto cultural para a região”, afirma o Presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista. Este equipamento foi aprovado com um investimento total de cerca de 1 milhão e meio de euros.

 

O nosso concelho está ligado, em termos históricos e bibliográficos, à “Terra da Maria da Fonte” pelo que a autarquia pretende consolidar uma imagem irreversível desse ícone da história de Portugal que importa salvaguardar, assumir e rentabilizar cultural e turisticamente. “Este Centro representa a principal homenagem ao legado histórico da figura da Maria da Fonte. Não tenho dúvidas de que estávamos em dívida para com a nossa história e, por isso, nos batemos fortemente pela concretização do Centro Interpretativo Maria da Fonte. Por outro lado, há a vertente de preservação das casas envolventes ao Theatro Club, o que desta forma fica também salvaguardado. É, como disse, uma vitória do nosso concelho”, refere ainda o autarca Povoense.

 

A criação do Centro Interpretativo Maria da Fonte irá concentrar publicações, estudos e documentos que caracterizam o Liberalismo Português, com recurso a soluções digitais, assumindo um importante núcleo de estudos em Portugal neste campo. A par da formação de um centro de estudos e documental, o Centro Interpretativo deverá assumir outras valências subordinadas ao mesmo tema, nomeadamente de exposições temáticas, permanente, temporárias e itinerantes; de serviços educativos transversais aos diversos níveis de escolaridade e etários; de investigação; de artes plásticas, representação e música; de conferências e publicações de divulgação e sensibilização.

 

Centro Interpretativo com diferentes espaços

 

O projeto de reconstrução e adaptação dos edifícios contíguos ao Theatro Club para Centro Interpretativo Maria da Fonte é composto por quatro espaços funcionais distintos: documental; expositivo/divulgação/visitação; serviços administrativos e serviços de apoio a expressões dramáticas, musicais, de entre outras.

 

A distribuição das zonas principais foi pensada de forma a garantir uma boa funcionalidade de todo o espaço de Centro Interpretativo, uma vez que são dois edifícios independentes, que não estão fisicamente em contacto e que se encontram inseridos em Zona Especial de Proteção do Theatro Club e incluídos no Conjunto de Interesse Municipal – Largo António Lopes.

 

Este equipamento irá incluir diferentes espaços e funções organizados por área documental com espaços de arquivo (o arquivo irá permitir receber diferentes tipologias e suportes, como jornais, plantas e outros documentos em papel, documentos em formato digital, arte, fotografias e também materiais etnográficos tratados no espaço de museologia, nomeadamente trajes e pequenos objetos agrícolas ou religiosos); espaço para museologia (os diversos objetos e materiais museológicos recebidos irão entrar para uma câmara de quarentena e desinfestação e posteriormente encaminhados para uma oficina de restauro e conservação e apenas quando essas peças se encontram nas condições requeridas é que poderão ser arquivadas ou expostas); exposição, consulta/estudo e digitalização/microfilmagem; área expositiva/divulgação/visitação (um dos objetivos principais do projeto é a interpretação e desenvolvimento do tema Maria da Fonte através de visitação numa vertente educativa, pelo que haverá lugar para exposições, divulgação e disponibilização de material informativo e possibilidade de realização de conferências, jornadas científicas de apresentação dos resultados da investigação operada nas diversas universidades em Portugal em torno do tema e outros eventos educativos. Pretende-se que o Centro Interpretativo seja abrangente a todo o tipo de visitantes, prevendo-se também incluir atividades e conteúdos direcionados a serviços educativos transversais aos diversos níveis de escolaridade e etários. Terá espaços adequados para exposições permanentes, exposições temporárias, reuniões/conferências e serviços educativos de apoio a escolas e outras instituições); área administrativa com gabinetes de trabalho e sala de reuniões (para a gestão do espaço físico do Centro Interpretativo bem como o seu conteúdo e de todas as atividades a desenvolver será necessário conter áreas de trabalho administrativo e sala de reuniões); e uma área de apoio a expressões dramáticas, musicais e outras com sala de ensaios (a sala de ensaios deverá ter capacidade para cerca de 20 pessoas e preferencialmente com possibilidade de compartimentação conforme necessidades de simultaneidade de utilizações) e salas de estudos instrumentais (as salas de estudo de instrumentos serão de utilização individual prevendo-se necessidade de três a quatro salas).

 

A autarquia já está a desenvolver os trabalhos necessários ao arranque da empreitada. O Centro Interpretativo Maria da Fonte ficará concluído até ao fim de junho do próximo ano.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *