Turismo, Vale de Cambra

Vale de Cambra divulga Património Arqueológico como Valor Turístico

ENARDAS_SESSAO_ENCERRAMENTO_PRESIDENTEA Câmara Municipal de Vale de Cambra quer promover o Património Arqueológico como Valor Turístico. O tema esteve em destaque no passado dia 2 de novembro’13 (sábado), à luz do Colóquio ENARDAS. O Primeiro encontro sobre o Projeto que está a ser desenvolvido pela Universidade do Minho em parceria com a Câmara Municipal de Vale de Cambra, é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e está sediado no Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória – CITCEM daquela instituição de ensino superior.
Vale de Cambra pretende aproveitar ao máximo o trabalho de investigação e reunir sinergias para levar a Arqueologia, e o Património Arqueológico, a toda a Comunidade dentro e fora de portas. A certeza foi deixada pelo Presidente da Câmara Municipal, José Pinheiro, no encerramento oficial do evento.
O 1.º Colóquio ENARDAS pretendeu estabelecer, além da divulgação de dados científicos, um diálogo entre a investigação e o aproveitamento das potencialidades patrimoniais identificadas como um recursos turístico.
Na primeira parte do colóquio, os diversos investigadores do projeto apresentaram os resultados das suas investigações, falando sobre arquiteturas funerárias, vulgarmente conhecidas como  mamoas, arte rupestre e metalurgia antiga, nomeadamente:
– “Junqueiro (Serra da Freita, Portugal). Um espaço de fruição comunal desde a Pré-história” por Alda Rodrigues; “Túmulos pré-históricos da Serra da Freita (Arouca e Vale de Cambra): forma, matéria e significados” por Edite Sá e Pedro Pimenta; “Arte rupestre da bacia do Caima (Arouca e Vale de Cambra)” por Alexandre Rodrigues, Ana M. S. Bettencourt, Pedro Pimenta e Filipe Pereira; “Arte rupestre das vertentes norte e oriental do Maciço da Gralheira (Arouca e S. Pedro do Sul) no contexto do Entre Douro e Vouga litoral” por António M. P. Silva, Manuel Valério Figueiredo, Joana N. Leite e Paulo Lemos; “Achados metálicos do Vouga e do Baixo Mondego: contributos para a sua contextualização” por Carlos Simões Cruz, Ana M. S. Bettencourt, Beatriz Comendador Rey e Alexandre Rodrigues.
O segundo painel foi composto por Sofia Ferreira, da Entidade Regional Porto e Norte de Portugal, que apresentou “A importância do Touring Cultural no desenvolvimento local e regional”, Pedro Sobral de Carvalho que falou sobre a “Musealização, valorização e dinamização do património arqueológico” e, representando o Geopark de Arouca, António Duarte apresentou o tema “Geoparque de Arouca: relação arqueologia e turismo cultural”
José Pinheiro realçou os “potenciais produtos e áreas de turismo arqueológico que poderão ser exploradas” e que, fundamentadas cientificamente “poderão abrir caminhos à sua aplicação prática e à divulgação a toda a Comunidade, ajudando a trazer gente até Vale de Cambra e a desenvolver a promoção da nossa terra”.
Preservar e salvaguardar, divulgando, são por isso, palavras de ordem, em busca das potencialidades e capacidades que a nossa História nos dá!
O próximo colóquio ENARDAS decorrerá no dia 6 de dezembro’13 (sexta-feira) em Braga.
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *