Arouca, Turismo

Montanhas mágicas são destino turístico sustentável – Arouca

Arouca, Castelo de Paiva, Castro Daire, Cinfães São Pedro do Sul, Sever do Vouga e Vale de Cambra. Sete municípios de Montanhas Mágicas, com sítios classificados da Rede Natura 2000 (serras da Freita, Arada e Montemuro, rios Paiva e Vouga) e a que também pertence o Arouca Geopark, são agora reconhecidos como destino de turismo sustentável. O certificado, conferido pela Federação Europarc, será entregue aos representantes da ADRIMAG (entidade promotora da candidatura) no próximo dia 6 de novembro, numa cerimónia que decorre em Bruxelas.

 

Esta certificação é um reconhecimento do valor dos recursos naturais deste território vasto, e do esforço realizado para a sua preservação e valorização, mas é também uma responsabilização e um convite ao compromisso dos atores locais (públicos e privados). De resto, a organização da oferta turística, com base na sustentabilidade ambiental, económica, cultural e social é um dos preceitos essenciais deste processo.

 

Há 20 anos que a ADRIMAG (Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das serras de Montemuro, Arada e Gralheira) tem vindo a desenvolver várias ações de preservação e valorização dos recursos naturais e culturais deste território. A criação de infraestruturas turísticas, percursos pedestres, museus e centros de interpretação ambiental, unidades de Turismo em Espaço Rural, parques de lazer têm sido alguns dos projetos promovidos pela ADRIMAG, a par da recuperação do património rural construído, do apoio às artes, ao artesanato e à produção/comercialização de produtos agroalimentares.

 

A Carta Europeia de Turismo Sustentável das Montanhas Mágicas é uma das ações do projeto de gestão da parceria PROVERE «Montemuro, Arada e Gralheira», promovido pela ADRIMAG, com apoio financeiro do QREN/Programa Operacional Regional do Norte (ON.2). Os princípios fundamentais deste documento são:

 

         Proteger e valorizar o património natural e cultural do território;

         Providenciar experiências de qualidade aos visitantes e turistas;

         Disponibilizar informação aos visitantes sobre as qualidades específicas do território;

         Estimular a oferta de produtos turísticos específicos que permitam a descoberta e a compreensão do meio natural e cultural do território;

         Assegurar que o turismo suporta e não reduz a qualidade de vida dos habitantes locais;

         Aumentar os benefícios do turismo na economia local;

         Monitorizar os fluxos de visitantes para reduzir os impactos negativos.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *