Cultura, Lamego

PLAST&CINE homenageia pintor Júlio Pomar em Lamego

Plastcine_imagem_julio_pomar2013O pintor Júlio Pomar é o protagonista da 5ª edição do PLAST&CINE, encontro multidisciplinar de artes, promovido anualmente em Lamego pela Associação de Municípios Douro Alliance – Eixo Urbano do Douro (Vila Real, Peso da Régua e Lamego) e organizado pelo Grupo de Comunicação Novembro com o apoio do Município de Lamego. Entre os dias 18 e 19 de outubro, a cidade duriense acolhe um vasto programa de iniciativas dedicadas à vida e obra do artista plástico que se destacou, sobretudo, na pintura.

Uma das grandes novidades desta edição é um passeio etnográfico no Douro, realizado no primeiro dia de atividades, que reunirá a bordo personalidades do meio artístico, cultural e político, culminando num reencontro de artistas: José Rodrigues, Cruzeiro Seixas, Roberto Chichorro e Júlio Pomar. Arte pública, teatro de rua e trabalhos cinematográficos complementam a exposição antológica e a conferência dedicadas ao homenageado. Tiago Pereira apresenta em estreia o filme “Só o Teatro é Real”. Depois de, através do artista plástico Roberto Chichorro, abrir o certame à comunidade lusófona, o PLAST&CINE reconhece este ano aquela que é umas das figuras incontornáveis do neorrealismo em Portugal e cujo percurso e obra estão também muito associados a Paris, onde se radicou em 1963, e ao Brasil, fonte de inspiração de várias obras.

Um dos pontos altos da homenagem prestada pelo PLAST&CINE a Júlio Pomar será a conferência sobre a sua vida e obra, realizada no dia 19 de outubro, pelas 15h30, no Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego. O pintor estará presente nesta iniciativa, no âmbito da qual será convidado a partilhar memórias, discorrer sobre obras, revelar talentos e confessar fontes de inspiração. Estas reflexões serão enriquecidas pela intervenção de um conjunto de amigos e parceiros que marcaram o seu percurso artístico, bem como de estudiosos e outras personalidades do mundo das artes plásticas, que acompanham a sua obra. É o caso de Francisco Laranjo, pintor e professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

Nessa manhã, pelas 11h00, será inaugurada, no Museu Diocesano de Lamego – Casa do Poço, uma exposição antológica com 35 peças do artista plástico, intitulada “Júlio Pomar: Outras Histórias”. Pinturas de tigres, macacos, odes marítimas, caça ao snark e outros trabalhos ligados à sua passagem pelo Brasil vão permanecer patentes naquele espaço cultural durante um mês. Em jeito de homenagem, estas e outras referências temáticas prometem invadir a cidade de Lamego, não só através do teatro de rua protagonizado pelo grupo “O Andaime”, mas sobretudo por intermédio de uma exposição de arte pública. A inauguração desta mostra acontece às 12h00, no Largo da Sé e no Largo de Camões. Para além de um importante complemento à homenagem prestada em conferência, as referidas intervenções integram a preocupação de interação com a população e as várias instituições locais.

 

Documentários virtualizam homenagem real 

Este ano, tirando máximo proveito da privilegiada localização da cidade de Lamego, o PLAST&CINE inicia o seu programa no Cais de Vila Nova de Gaia, ponto de partida do referido passeio etnográfico a realizar no rio Douro. A viagem começa às 09h15 de sexta-feira, 18 de outubro, e dá o mote a um dia dedicado à homenagem informal. Entre as personalidades confirmadas nesta viagem, e que acabarão por permanecer em Lamego e participar na conferência do dia seguinte, destacam-se os artistas Cruzeiro Seixas e Roberto Chichorro, a docente, investigadora e autora Laura Castro, o escritor Mário Cláudio e o presidente da Árvore-Cooperativa de Actividades Artísticas, Amândio Fernandes Secca. Depois de uma breve passagem pelo Museu do Douro, no Peso da Régua, será ainda promovido, nessa primeira jornada, um jantar. Segue-se, no Teatro Ribeiro Conceição, pelas 21h00, a estreia do documentário “Só o Teatro é Real”, um trabalho inteiramente dedicado a Júlio Pomar, da autoria de Tiago Pereira, com música de Ricardo Jacinto.

A realização, produção, edição e distribuição de um documentário cinematográfico sobre o artista homenageado traduz a componente perene do PLAST&CINE, pelo que, durante o certame e tirando proveito dos seus múltiplos contributos, será concebido um outro vídeo sobre Júlio Pomar, cuja exibição pública fica reservada para a edição de 2014. Assim acontecerá este ano com a película de Roberto Chichoro, que protagonizou na 4ª edição do PLAST&CINE. A visualização do trabalho “Andarilho em cores de beija-flor – PLAST&CINE 2012, vida e obra de Roberto Chichorro” integra a programação do dia 19 de outubro e acontece às 12h00, no Auditório do Museu Diocesano de Lamego – Casa do Poço. O filme é composto por três categorias de materiais: declarações selecionadas de entre um vasto conjunto de conversas com o artista; imagens das suas obras; e imagens de lugares que retratam a sua memória, a sua vida e a sua obra, através da exploração plástica do discurso reproduzido. De resto, a conferência que preenche a tarde dessa segunda jornada terá também uma componente multimédia, abrindo com a exibição da curta-metragem “PLAST&CINE 2009 – 2013”.

 

Se precisa de Agência de design gráfico pode ver a Livetech

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.