Educação, Estarreja

Todo o Parque Escolar Municipal de Estarreja com excelentes condições

DSC_0046ssAs 80 crianças do pré-escolar e 1º ciclo voltaram à sua escola depois de terem iniciado as aulas no Mato. A EB1/JI da Congosta, na freguesia de Avanca, sofreu obras de beneficiação durante as férias de verão e hoje reúne melhores instalações, maior conforto e segurança. Com esta intervenção, a Câmara Municipal beneficiou todas as escolas da sua competência, alcançado um parque escolar com “excelentes condições”. O presidente da Câmara, José Eduardo de Matos, e o vereador da Educação, João Alegria, assinalaram no local esse marco, na última terça-feira.

 

Realizadas as obras de beneficiação na EB1/JI da Congosta, a intervenção da Câmara no parque escolar municipal abrange a totalidade dos estabelecimentos de ensino. “A Educação é prioridade mesmo: assumimos e cumprimos! Na última década investimos em todas as Escolas do Município”, afirmou José Eduardo de Matos. No total, a autarquia realizou um investimento de 8,6 milhões de euros.

 

O presidente da Câmara sublinha que “quisemos e fomos capazes de dar as melhores condições a todos os nossos alunos e professores. Demos o exemplo para que o Estado agora recupere a EB 2,3 Prof Egas Moniz. Ficamos satisfeitos quando vemos o resultado do nosso trabalho espelhado nos olhos destas crianças”.

 

O vereador da Educação reforçou que “todas as escolas da competência do município estão recuperadas e em pleno funcionamento”, materializando um parque escolar com “ótimas condições para que os alunos aprendam mais e melhor e desenvolvam as suas atividades de forma plena”.

 

“Estamos todos de parabéns”

 

Em Avanca, a beneficiação desta escola com cerca de 30 anos “era uma necessidade premente” e só não avançou antes por causa da negociação com a tutela para a recuperação da Escola Egas Moniz.

 

Os melhoramentos na EB1/JI da Congosta foram suportados na íntegra pela Câmara Municipal de Estarreja, representando um investimento de 56.991,00 mil euros. A beneficiação teve como objetivos a conservação do edifício ao nível dos revestimentos, nomeadamente com pintura, reparação do pavimento, conservação de madeiras e substituição de telhas. Foram ainda introduzidas melhorias no isolamento e na iluminação da escola.

 

Rosa Maria Rodrigues, coordenadora da Escola da Congosta, referiu que o edifício “estava a necessitar de uma recuperação e sofreu uma melhoria muito significativa. Estamos todos de parabéns, essencialmente a Câmara que fez um trabalho magnífico”.

 

Quanto à Carta Educativa, aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal e homologada pelo Ministério da Educação em outubro de 2007, João Alegria adiantou que falta concentrar o ensino da freguesia de Avanca no complexo escolar do Mato e Egas Moniz e a segunda fase da Escola Sul Visconde de Salreu, prolongando ali o ensino até ao 9º ano, projetos dependentes do Ministério da Educação, mas que a Autarquia insiste na sua concretização.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *