Economia, Estarreja

Área Social e de Negócios consolida Eco Parque Empresarial de Estarreja

InaugAreaSocialNegocios_BMA_20130924_152ssCom a presença de dezenas de empresários e entidades locais e regionais, que demonstraram a sua satisfação pelo novo espaço, pois vem dar uma resposta diferenciadora aos empresários já instalados e a futuros investimentos, a Câmara Municipal inaugurou a Área Social e de Negócios do Eco Parque Empresarial de Estarreja, um investimento de 2 milhões de euros comparticipados pelos fundos europeus. A “capacidade de visão antecipada” da autarquia estarrejense mereceu grandes elogios de Pedro Saraiva, presidente da CCDRC – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro.

 

Numa sessão presidida pelo presidente da Câmara Municipal, José Eduardo de Matos, foi apresentada a nova Área Social e de Negócios, um espaço qualificador que custou 2.045.475,83€,  com uma comparticipação do FEDER de 85%. O Eco Parque “é o maior investimento feito pela Câmara Municipal de Estarreja”, afirmou o autarca, para o qual foram necessários adquirir muitas centenas de terrenos, tendo a Câmara chegado a acordo com os milhares de proprietários em 99,9% dos casos, num imenso trabalho interno.

 

Feitas as contas, no essencial, “conseguimos manter o emprego que tínhamos e captar novas empresas”, sendo “este tipo de projetos que faz a diferença”. Sendo um dos municípios classificado num trabalho do Professor João Ferrão como dos mais resilientes do país e o único na Região de Aveiro, “Estarreja tem sido um bom exemplo, temos sido resistentes e aumentado a nossa produção industrial”, rematou.

 

“Capacidade de visão antecipada”

 

São casos como o de Estarreja que deixam Pedro Saraiva otimista. A autarquia de Estarreja soube posicionar-se com uma “capacidade de visão antecipada” simplificando e “adotando níveis de qualidade de serviço”. Inserida numa das regiões mais resilientes ao país face ao impacto da crise, “Estarreja é das poucas exceções e consegue ter um desempenho muito interessante”, porque “houve uma visão do que era importante”, salientou o líder regional, que resultou na criação de novas empresas e postos de trabalho.

 

O Eco Parque Empresarial de Estarreja configura “uma nova geração de parques”. Não só tem uma “dimensão e visão de futuro” dando às empresas já instaladas a possibilidade de expansão, como tem condições únicas de localização, infraestruturação, logística e um “conjunto de valências e ingredientes que não aparecem nos parques tradicionais”. A Área Social e de Negócios constitui uma “parte interessante do território criando valências” dedicadas aos empresários.

 

Realidades como esta levam Pedro Saraiva a afirmar que “há razões para acreditar no futuro”.  O município estarrejense deu, sem qualquer dúvida, o seu forte contributo à região centro que apresenta as menores taxas de desemprego no país.

 

700 postos de trabalho e 15 novas empresas

 

Aproximadamente 700 postos de trabalho no Eco Parque Empresarial de Estarreja é uma realidade indesmentível, referiu o vice-presidente da Câmara Municipal, Abílio Silveira, que recordou o longo caminho percorrido e iniciado em 20002 quando teve inicio a infraestruturação do parque empresarial.

 

Alguns anos depois, mais de 11 milhões de euros investidos, mais de 1,2 milhões de m2 de área adquirida, num total de de 1062 artigos, e uma área licenciada de perto de 350 mil m2, com uma ocupação e contrato-promessa de 70%, “a realidade de Estarreja no Eco Parque são 690 postos de trabalho”, evidenciado ainda que “a maior parte das empresas estão a crescer aqui”.

 

O vice-presidente da Câmara deu como exemplo a estarrejense InoxAntuã que já avançou para a aquisição do seu segundo lote no Eco Parque. “A Câmara Municipal sabe adaptar-se à realidade económica do país e prevê o pagamento em prestações, para além de ter baixado o preço dos terrenos para venda”, salientou Abílio Silveira. “Quem está cá, está bem instalado e tem licença rapidamente. Essa é a nossa realidade em Estarreja”.

 

Na nova Área Social e de Negócios os “empresários têm, de forma gratuita, espaços e serviços de apoios”, ao mesmo tempo que a Câmara estabelece parcerias com entidades como a SEMA – Associação Empresarial e ATAM – Associação dos Trabalhadores da Administração Local, que resultará em ações de formação a realizar no moderno espaço.

 

Em 2009, o Eco Parque Empresarial de Estarreja abriu as portas à instalação de pequenas e médias empresas, reinventando o modelo de desenvolvimento económico do município assente na grande indústria. Cumprindo o objetivo estratégico de consolidação da área industrial municipal e de investimento na economia como fator de desenvolvimento, o Município está a criar um espaço de oferta de vários serviços de proximidade e valências que irão reforçar as  atuais e servir as empresas do Eco Parque Empresarial de Estarreja, apostando num projeto de referência.

 

 

Novas valências reforçam condições de atração

 

A Área Social e de Negócios engloba várias valências: área de gestão, auditório, sala de exposição, consultório médico, espaços de segurança e de formação, restaurante e cafetaria, espaços para serviços, balneários e instalações sanitárias. Por se desenvolver ao longo do piso térreo, este edifício de carácter público está adaptado à utilização por pessoas com mobilidade reduzida. Os arranjos exteriores incluem a criação de passeios, espaços verdes e estacionamento, zona de cargas e descargas e zona de recolha de resíduos sólidos urbanos.

 

Esta empreitada faz parte de um conjunto de investimentos na capacitação empresarial,  onde se inserem a requalificação da  Variante Sul (EM 558 – estrada Pardilhó-Estarreja) e a ligação à Variante Norte (prolongamento da Avenida Pacopar), a primeira já concluída e a segunda em execução.

 

A requalificação da Variante Sul, numa extensão de 3 kms, representou um investimento total de 528.648,46€, com uma comparticipação de 80% do FEDER, no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro. A melhoria das infraestruturas de suporte às atividades empresariais/industriais não poderia ficar por aqui. A Câmara Municipal está a garantir a ligação direta da Avenida Pacopar do Eco Parque à Variante Norte, facilitando o acesso às vias rápidas A1 e A29.

 

 

Novo Acesso mais rápido à A1 e A29

 

O prolongamento da Avenida Pacopar está em curso e estará pronto num prazo de 6 meses. Já caracterizado pelas suas fáceis acessibilidades, o Eco Parque Empresarial de Estarreja passará a dispor do principal acesso às vias rápidas A1 e A29. O prolongamento da via concretiza um acesso rápido à A1 e A29, com uma diminuição para cerca de 1/3 do tempo e distância aos nós das autoestradas.

 

A Câmara  adjudicou a empreitada pelo valor de 650.876,47€ (+ IVA), que ainda será comparticipada por fundos europeus. O  Presidente da CCDRC anunciou que as verbas restantes do atual quadro europeu serão para as áreas empresariais. Uma boa notícia para o Município.

 

Esta será uma nova porta de entrada da zona empresarial, abrindo também novas frentes de expansão empresarial.

 

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *