Cultura, Marinha Grande

Exposição temporária apresenta Real Fábrica de La Granja na Marinha Grande

MuseuVidro2013_4O Museu do Vidro, situado no Palácio Stephens, na Marinha Grande, reabre ao público no dia 13 de julho (sábado), pelas 18h00, com a inauguração da exposição temporária “Real Fábrica de Cristales de La Granja”.

O Museu esteve encerrado para realização de obras de reabilitação, decorridas entre 2012 e o primeiro semestre de 2013. A intervenção inseriu-se na empreitada de revitalização do Património Stephens, que implicou um investimento superior a 320 mil euros e abrangeu a Galeria Municipal, os serviços educativos e a receção do Museu do Vidro.

A obra consistiu na requalificação do espaço da atual receção do Museu do Vidro e adaptação a loja e receção de vários espaços: Museu do Vidro, Galeria de Arte Municipal, Teatro/Casa da Cultura Stephens e Posto Turismo. Pretende-se que estes espaços assumam um papel mais importante e privilegiado para o atendimento e encaminhamento de visitantes, turistas e utentes.

 

Territórios unidos pelo vidro

A exposição “Real Fábrica de Cristales de La Granja” estará patente de 13 de julho a 16 de fevereiro de 2014. Dá a conhecer a Real Fábrica de Vidros de La Granja, Espanha desde a sua criação até à atualidade. É retratado um longo percurso de mais de dois séculos, onde se pretende deixar patente o compromisso da Fundação do Centro Nacional de Vidro de promover, potenciar e divulgar a história, a arte e a técnica do vidro desta manufatura.

São exibidas peças originais do século XVIII, de grande valor histórico, bem como peças que atualmente se fabricam na Real Fábrica, para além de um bom exemplo de peças experimentais, realizadas pelos alunos da Escola Superior do Vidro.

Pela sua proximidade geográfica, La Granja e Marinha Grande tiveram uma história do vidro em comum que remonta a meados do século XVIII, quando famílias de vidreiros partilharam as suas tradições e conhecimentos em ambas as manufaturas reais.

La Granja e Marinha Grande partilharam estilos de vida e costumes que souberam conjugar a tradição e a inovação, que as posiciona como centro europeu de excelência vidreira.

Como resultado desta estreita relação foi assinado, em 1999, o Acordo de Geminação entre ambos os Municípios e, posteriormente, o projeto transnacional “Vidro SO – Os caminhos de excelência do vidro no Sudoeste Europeu”, co-financiado pela União Europeia, no âmbito da iniciativa Comunitária Interreg IIIB-Sudoe. Nele participaram também a Diputación Provincial de Segóvia (Governo Regional de Segóvia), em Espanha, e a Agência de Desenvolvimento da Região do Tarn-Agate, em França.

Os museus do vidro da Marinha Grande e de La Granja, instalados nas antigas Reais Fábricas, vêm partilhando atividades culturais desde há alguns anos.

 

Museu do Vidro mais de dois séculos de história

O Museu do Vidro foi durante muito tempo uma grande ambição da Marinha Grande. As tentativas de o abrir foram várias e começaram a surgir em princípios do século XX. Foi em 1995 que este projeto começou a tomar um novo rumo, por iniciativa da Câmara Municipal da Marinha Grande, determinada em devolver o património à cidade e em abrir definitivamente o museu.

A sua instalação foi feita no Palácio Stephens, um edifício mandado erguer pelo industrial Guilherme Stephens dentro do perímetro da fábrica, na segunda metade do século XVIII. Com traçado arquitetónico neoclássico, possui três pisos e dois jardins, sendo o da frente do palácio comum às instalações da fábrica e o tardoz reservado. A recuperação e conservação do edifício foram iniciadas em 1996. O museu foi inaugurado em 1998, ano em que se comemoraram 250 anos de indústria do vidro, na Marinha Grande.

O Museu do Vidro está estruturado de forma a que o visitante possa ficar a conhecer não só os aspetos históricos da indústria do vidro, mas também aspetos tecnológicos, científicos, artísticos, industriais, sociais e culturais. A proveniência é diversificada, desde coleções particulares a espólios de fábricas, incorporados maioritariamente por doação e alguns por aquisição da Câmara Municipal.

O Museu está organizado nas exposições permanente e temporária. A mostra permanente inclui vários aspetos do trabalho no vidro: técnicas de fabrico e decoração das peças, função dos objetos, épocas de produção, tipo de objetos, entre outros.

O Museu do Vidro estará aberto ao público de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *