Cultura, Póvoa de Varzim, Sociedade

Projeto de arte urbana: uma janela para o mundo – Póvoa de Varzim

image006Concluído o primeiro trabalho de intervenção urbana na Póvoa de Varzim, em breve, novos locais irão ganhar nova vida, passando a nossa cidade a ter um roteiro de arte urbana no âmbito do projeto City Art Tour.

A sede do Grupo Recreativo Estrela do Bonfim mereceu, esta manhã, a visita de Aires Pereira, Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, de Manuel Rocha, Presidente do GREBonfim, e de Manuel Martins, artista autor do projeto.

Aires Pereira destacou a evolução deste projeto, sendo que o artista foi adaptando aquilo que era a sua ideia inicial à realidade que foi surgindo, nomeadamente, o muro que não estava previsto ser intervencionado e que depois se percebeu que fazia todo o sentido que integrasse a obra.

Para o Vice-Presidente este é já um espaço de referência e de visita não só por pessoas da Póvoa de Varzim mas também de fora.

O autarca referiu-se ainda ao facto do local estar identificado com QR Code, o que “abre uma janela enorme para o mundo dum espaço muito pequenino na nossa cidade mas o primeiro de um conjunto de coisas que vão acontecer quer sob o ponto de vista da intervenção do Manuel quer de outros artistas”, explicando tratar-se de um roteiro de arte urbana em que as pessoas se deslocam de cidade em cidade e querem deixar ficar a sua obra.

Adiantando que o muro do Porto de Pesca será a intervenção que se segue e onde iremos poder rever os últimos 100 anos da Póvoa de Varzim, Aires Pereira afirmou que “temos aqui um manancial de espaços para intervir, temos gente com vontade de intervir e temos a cidade aberta a esta nova forma de arte, a Street Art, perfeitamente controlada”.

A propósito, Vice-Presidente esclareceu que “ainda esta semana foi aprovada uma lei que determina que passa a ser da competência das autarquias as questões ligadas aos graffitis. Esta é uma forma controlada de expressão e dos artistas poderem deixar a sua marca no nosso concelho”.

Em relação ao trabalho realizado, Manuel Martins considera que conferiu uma nova imagem ao sítio, que estava um pouco degradado e passando, assim, a obter uma imagem mais fresca.

O artista explicou a mudança de desenho em relação ao que estava inicialmente idealizado: de maneira a tornar o trabalho final mais harmonioso foi necessário intervir em mais um muro, e não somente a fachada superior como havia pensado numa primeira fase.

Meonerock, nome artístico de Manuel Martins, manifestou o seu desejo de desenvolver novos projetos de arte urbana, “pintava a cidade toda se fosse preciso”, se a autarquia o permitir e apoiar.

Marina, sede do Centro Cultural e Desportivo de Barreiros, na Central de Camionagem e túneis da ecovia foram alguns dos locais sugeridos por Meonerock para futuras intervenções.

Conheça um pouco mais do trabalho desenvolvido por Meonerock na página oficial do artista.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *