Cultura, Odivelas

Exposição “O jogo da política moderna” em Odivelas

É já a partir do próximo dia 4 de julho que a Biblioteca Municipal D. Dinis, em parceria com o Museu Bordalo Pinheiro, recebe a Exposição “O jogo da política moderna” que reúne os melhores desenhos humorísticos da I República Portuguesa.

 

A I REPÚBLICA PORTUGUESA trouxe consigo a explosão das práticas de humor social e político. O fenómeno foi alimentado pelo teatro de revista, pela comédia de costumes, mas sobretudo pela imprensa humorística e pela caricatura que conheceram então um novo fôlego.

O quadro político, de permanente instabilidade e confronto partidário, agravado pela crise da economia, forneceu a melhor matéria-prima para um desenho humorístico com estéticas diferentes, onde o traço simples e direto, por vezes até grosseiro, coexistiu com o traço mais vanguardista das primeiras manifestações do modernismo artístico em Portugal. Afonso Costa, Brito Camacho, António José de Almeida, Bernardino Machado e, nos anos 20, António Maria da Silva, são naturalmente os mais visados, dado o seu protagonismo no “jogo da política moderna”.

Embora a maioria dos caricaturistas estivesse com a República, o novo regime também trouxe consigo uma maior diversidade editorial, com as publicações ferozmente anti talassas, como O Moscardo e O Zé (sucessor d’ O Xuão), a conviverem, nem sempre pacificamente, com as publicações pró-realistas, de que O Papagaio Real e O Thalassa são um bom exemplo.

Apareceram novos títulos de jornais, efémeros a maioria, duráveis alguns, embalados pelas promessas de liberdade de expressão proclamadas pelos republicanos. E, com eles, uma nova geração de desenhadores e caricaturistas que se revelaram nos jornais humorísticos que surgem sobretudo em Lisboa e no Porto.

 

Esta exposição constitui uma excelente oportunidade para, a partir do desenho humorístico e da caricatura política e social publicada na imprensa pelos principais “humoristas” portugueses da época, mergulhar n’ “0 Jogo da Política Moderna” da I República Portuguesa, e, com isso, nas virtudes e nos defeitos do novo regime.

 

A Exposição fica patente até ao dia 31 de agosto.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *