Cultura, Évora

Companhia Olga Roriz no Teatro Garcia de Resende em Évora

A Companhia de Dança Olga Roriz vem a Évora apresentar dois espetáculos no Teatro Municipal Garcia de Resende, intitulados “Present in Progress” e “A Sagração da Primavera”, sendo que o primeiro realiza-se no dia 3 de julho e o segundo no 6 de julho, ambos com início às 21:30.

“Present in Progress”, com coreografia e interpretação de Olga Roriz e com duração de 20 minutos, é um encontro de dois gestos distintos, a dança e a pintura. Juntos e ao vivo, pintor e coreógrafa dialogam na sua solidão. A música é a única ligação entre eles, espacial e temporal. Ela move-se colada a uma tela branca. Ele está em pé em frente a uma mesa em branco, câmaras de vídeo, tintas, pincéis, papeis… O Movimento dela flutua entre as explosões de linhas e cores. O resultado é ora dramático, ora poético.

No segundo espetáculo, “A Sagração da Primavera”, Olga Roriz, após 36 anos de carreira como intérprete e 9 solos criados, lança-se pelo duplo desafio: a revisitação de uma obra maior como é “A Sagração da Primavera” e a insistência da sua longevidade como bailarina e intérprete. Poucos são no mundo os criadores que se propõem a coreografar esta obra, muito menos ainda os que aos 56 anos de idade dançam. Olga Roriz é a única intérprete/criadora no nosso país, e das poucas na Europa, que continua a transmitir pelo seu próprio corpo o seu legado coreográfico e artístico, continuando a construir, desenvolver e partilhar com o público a sua presença gestual e interpretativa impar. Em 2013 celebra-se o centenário da criação de “A Sagração da Primavera” por Nijinsky/Stravinsky e, após a sua primeira criação desta obra, Olga Roriz confessa: “Algo ficou por fazer, tanto ficou por ser dito. Pretendo encontrar um outro estar, uma acumulação do mesmo mas sempre em renovação, jamais entendido. Ignorar os tabus, reescrever a história, acrescentar as referências e criar o momento. Paixão, memórias e saber, manter-se-ão intactos, serão respeitados mas sem voz, sem espaço, sem presente. Corpo a corpo num confronto nunca pacífico.”

Estes espetáculos da Companhia de Dança Olga Roriz são uma organização do CENDREV no âmbito da Rede “Culturbe – Braga, Coimbra e Évora”, que conta com o apoio do INALENTEJO e da Câmara Municipal de Évora.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *