Palmela, Tecnologia

Projeto-piloto de Palmela apresentado em Itália, no encerramento do Periphèria

Decorreu, nos dias 29 e 30 de maio, em Roma, Itália, a Conferência de Encerramento do projeto transnacional Periphèria. O Periphèria teve como finalidade implementar uma plataforma internet inovadora, para o fornecimento de serviços através de redes de cidades periféricas na Europa, com vista à promoção e desenvolvimento de “comunidades inteligentes”, e envolveu 12 parceiros de cinco países europeus (Portugal, Suécia, Itália, Alemanha e Grécia), tendo sido desenvolvidos, no seu âmbito, seis projetos-piloto, cujas metodologias e resultados serão disseminados através da rede de parceiros internacionais.

O projeto-piloto de Palmela – “Smart City Hall” – um dos seis desenvolvidos ao longo da iniciativa, foi apresentado nesta conferência internacional, tendo sido destacado pelo seu caráter  de inovação social e tecnológica e modernização autárquica.

Em Palmela, o projeto teve como principal objetivo a promoção do acesso das populações mais isoladas, geograficamente, aos serviços públicos, através da criação de um balcão móvel VAM – Veículo de Atendimento Municipal (atual Loja Móvel do Cidadão) e do desenvolvimento de outros serviços, com recurso às TIC’s, onde se destacam novas formas de informação/comunicação de caráter turístico, e os circuitos e horários da viatura, através de QRcodes.

Aliando o serviço de reservas online ao itinerário da VAM, o Periphèria permitiu, também, alargar os polos de recolha e entrega de livros em todo o território concelhio sem necessidade de deslocação aos polos físicos da Rede Municipal de Bibliotecas Públicas. No seio das parcerias local e internacional, foi, também, criado um espaço que permite o surgimento de novas ideias e a concretização de novos projetos em torno do conceito de “município inteligente”, envolvendo diferentes atores e protagonistas.

O Vereador Luís Miguel Calha, que representou o Município na Conferência, afirmou que lhe deu «um grande prazer liderar este projeto», que considera «bastante inovador, simbolizando uma gestão municipal moderna e com visão estratégica». Em Itália, onde Palmela foi mencionada como uma autarquia que investe no seu potencial humano, na criatividade e na inovação, o Vereador teve oportunidade de «testemunhar o reconhecimento internacional do mérito do nosso projeto», que aposta na utilização inteligente de recursos como as tecnologias de informação e comunicação, de forma a «resolvermos os problemas das pessoas e dos territórios, envolvendo os parceiros locais na criação e na produção de soluções adequadas». No balanço da participação do Município neste trabalho, Luís Miguel Calha sublinhou que «todas as regiões que se pretendem desenvolver têm que saber lidar com o futuro e, por isso, falamos, cada vez mais, em Human Smart Cities, ou seja, em cidades humanamente inteligentes, onde as pessoas estão em primeiro lugar.»

Durante a Conferência, foi apresentada uma proposta de Manifesto das “Human Smart Cities” – cidades que procuram utilizar as tecnologias de comunicação mais avançadas, a internet e as redes sociais, para permitir melhores condições de vida e de acesso aos serviços públicos para os seus cidadãos – com vista a disseminar estes projetos, no qual o projeto de Palmela se inclui, a nível mundial.

 


Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *