Desporto, Gondomar

Participação de atleta de Gondomar na Maratona da Grande Muralha da China

Filipa Elvas e Álvaro LeiteA “Maratona da Grande Muralha”, na China, contou na edição deste ano com dois nomes portugueses em situação de destaque. Realizada no dia 1 de maio, para além do resultado da atleta amadora Filipa Elvas (que foi a única mulher a completar a edição deste ano da maratona), há ainda que referir o 4.º lugar do gondomarense Álvaro Leite.

Em comum, Filipa Elvas e Álvaro Leite têm o facto de pertencerem aos quadros da TAP. Filipa Elvas e Álvaro Leite estiveram entre as 15 pessoas que completaram no tempo regulamentado (oito horas) a “Maratona da Grande Muralha”, uma das mais duras do mundo.

Álvaro Leite habita e treina em Gondomar. As margens do Douro, na zona do Polis, são o local escolhido para os treinos diários. E foi desses muitos quilómetros de preparação em Valbom que Álvaro Leite se “ambientou” para a prova realizada na Muralha da China.

“O mais importante é conseguirmos ultrapassar os nossos limites”, disse Álvaro Leite, atleta do triatlo. “Era um sonho e uma aventura. Há dois anos que começámos a falar nisto”, destaca Álvaro Leite.

“Grande parte da preparação foi realizada neste agradável percurso do Polis, em Gondomar, tendo o Rio Douro como companheiro de muitos quilómetros. Depois, conforme profissionalmente me tinha que deslocar para outros países, seguia as indicações do treinador e, nesses locais, continuava com a preparação”, recorda o atleta de Gondomar – que também faz uso das Piscinas Municipais de Valbom para a preparação de outras provas (como por exemplo o “Ironman Triatlo”, uma das mais duras do mundo, com 3,8 quilómetros a nadar, 180 em bicicleta e 42 a correr).

Filipa Elvas e Álvaro Leite concretizaram um percurso de 45 quilómetros, com 20.564 degraus e rampas muito inclinadas ao longo da maior fortificação do planeta. Durante a prova, ambos perderam dois quilos e, ao longo do percurso, beberam cerca de 20 litros de água. Este ano, a prova decorreu numa parte da muralha localizada em Jinshanling, na província de Hebei.

A “Maratona da Grande Muralha” é uma das mais difíceis provas do género disputadas a nível internacional. Dos 140 atletas de dezenas de países inscritos, entre os quais 30 mulheres, apenas 15 chegaram ao fim dentro do limite de tempo estipulado pelos organizadores da prova (que era de oito horas).

Filipa Elvas concluiu a prova em sete horas e 50 minutos. Álvaro Leite completou os 45 quilómetros, mais três adicionais (por indicações erradas de percurso dadas pela organização), em sete horas e 25 minutos. Os atletas, amadores, contaram com o apoio, na preparação para a prova, do treinador Manuel Machado.

A compreensão dos colegas, trocas de turnos e conciliação de voos de trabalho com locais de provas, ajudam a que até agora tenham conseguido participar em quase todas as provas que pretendiam.

“É uma prova altamente maçadora em termos psicológicos, em terreno complicado”, recorda Álvaro Leite: “Foram muitas horas a correr. Olha-se em frente e é só degraus!… Tínhamos degraus com meio metro de altura e havia que usar as mãos para subir”.

Em 2014 os dois maratonistas talvez participem numa outra difícil “maratona-aventura”: a do Tibete, cuja capital, Lhasa, fica a mais de 3.500 metros de altitude.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *