Cultura, Mangualde

Lusitânia Romana debatida em Mangualde

Mesa Redonda (1)Mangualde acolheu, nos dias 10 e 11 de maio, a reunião internacional sobre a Lusitânia Romana, que juntou especialistas de vários países. A “VIII Mesa-redonda Internacional sobre a Lusitânia Romana – Entre Romanos e Bárbaros”, que tem decorrido alternadamente em Portugal, Espanha e França, foi organizada pela Câmara Municipal de Mangualde, pela Associação Cultural Azurara da Beira de Mangualde e pelo CEAUCP – Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto, com o apoio da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Vale do Dão e Alto Vouga e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. O encontro decorreu no Auditório da Câmara Municipal de Mangualde e contou a intervenção do edil mangualdense, João Azevedo, na sessão de abertura.

 

Durante os dois dias do evento, investigadores das várias universidades e centros de investigação nacionais e estrangeiros apresentaram e debateram as mais recentes investigações provenientes dos resultados de escavações arqueológicas e, também, de outras fontes históricas sobre as dinâmicas sociais, políticas, económicas e culturais do período histórico confinado entre o fim do Império Romano e o estabelecimento do reino visigótico na província romana da Lusitânia. Os participantes tiveram ainda a oportunidade de visitar as ruínas romanas da Raposeira, alvo de intervenção de restauro e musealização da responsabilidade tutelar da Câmara Municipal de Mangualde.

 

Grande parte dos convidados eram estrangeiros e provenientes de Espanha, França e Canadá, representando as instituições universitárias que mais se têm dedicado à investigação sobre a Lusitânia Romana. Os convidados portugueses, por sua vez, provêm das escolas universitárias onde se faz investigação sobre o mesmo tema. Da Comissão Científica faziam parte nomes como José d’ Encarnação (Univ. Coimbra), Trinidad Nogales (Diretora-geral do Património do Governo da Extremadura, Espanha), Maria da Conceição Lopes (Univ. Coimbra) e Pedro C. Carvalho (Univ. Coimbra).

 

É de referir que a escolha da cidade de Mangualde para palco deste encontro deu-se na reunião realizada em Toulouse, em 2008, onde ficou decidido que a próxima Mesa-redonda seria na Região de Viseu, considerando a importância que teve na época romana e períodos seguintes. Com início em 1989, a primeira reunião decorreu em Bordeaux, França, seguindo-se Salamanca, Madrid, Mérida, Cáceres, Cascais e Toulouse.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *