Santo Tirso, Saúde

Abertura de mais duas unidades de saúde familiares e de uma unidade de cuidados da comunidade no concelho de Santo Tirso

abertura de duas USF e de uma UCCNo Concelho de Santo Tirso já estão a funcionar mais três Unidades Funcionais de Saúde, a saber: Unidade de Saúde Familiar de S. Tomé (USF DE S. TOMÉ); Unidade de Cuidados da Comunidade (UCC PROVIDA) e Unidade de Saúde Familiar de Vila das Aves (USF AVES SAÚDE). As duas primeiras unidades ficam instaladas no Centro de Saúde de S. Tomé de Negrelos e a terceira na Extensão de Saúde de Vila das Aves.

 

Na apresentação pública destas três novas tipologias de Saúde marcaram presença o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, a diretora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Grande Porto I (Santo Tirso/Trofa), Ana Tato, os Coordenadores dos Centros de Saúde de S. Tomé de Negrelos e de Vila das Aves, Glória Castilho e Adalberto Carneiro, respetivamente, vários Vereadores da Câmara Municipal de Santo Tirso, os presidentes das juntas de freguesia de S. Tomé de Negrelos e de Vila das Aves, e vários Médicos, Enfermeiros e Administrativos dos Centros de Saúde que passam a receber estas novas unidades de cuidados de saúde primários.

 

Antes de mais nada importa referir que com a abertura destas três novas tipologias organizacionais de Saúde toda a população de S. Tomé de Negrelos e de Vila das Aves passa a estar abrangida com médico de família.

 

20 MIL UTENTES ABRANGIDOS PELAS DUAS USF

Aliás, tal como esclareceu Ana Tato, a diretora executiva do ACES Grande Porto I – Santo Tirso/Trofa, nas duas USF trabalham 11 médicos (seis em S. Tomé e cinco em Vila das Aves), 11 enfermeiros (seis em S. Tomé e cinco em Vila das Aves) e nove administrativos/secretários clínicos (cinco em S. Tomé e quatro em Vila das Aves) e são atendidos 20 mil utentes (12 mil em S. Tomé e oito mil em Vila das Aves). Segundo a mesma Responsável, com a implementação das unidades de saúde familiar (USF) pretende-se “aumentar a acessibilidade e a satisfação dos utilizadores de cuidados de saúde e melhorar a qualidade e a continuidade dos cuidados prestados às populações”. Os utentes podem pedir consulta médica (geral, saúde infantil/juvenil, gravidez, planeamento familiar, rastreio oncológico, hipertensão e diabetes) ou consulta de enfermagem (tratamentos, injetáveis, vacinação e planeamento familiar). Toda a população de S. Tomé de Negrelos e de Vila das Aves passa, assim, a estar abrangida com médico de família.

 

40 MIL UTENTES ABRANGIDOS PELA UCC

A Unidade de Cuidados na Comunidade funciona no Centro de Saúde de S. Tomé de Negrelos, é composta por sete enfermeiros e um administrativo, e presta cuidados de saúde e apoio psicológico e social de âmbito domiciliário e comunitário, essencialmente a pessoas, famílias e grupos mais vulneráveis e atua na educação para a saúde, na integração em redes de apoio à família e na implementação de unidades móveis de intervenção. Os utentes abrangidos por esta UCC são 40 mil, oriundos de S. Tomé de Negrelos, Vila das Aves e S. Martinho do Campo.

 

No final da visita, Castro Fernandes, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso lembrou o facto de em 2007 ter assinado com o Ministério da Saúde um protocolo pelo qual o Governo se comprometia a instalar várias USF no Concelho de Santo Tirso. Castro Fernandes congratulou-se com a instalação da USF de S. Tomé e da USF Aves Saúde, bem como com a instalação da UCC de S. Tomé de Negrelos. O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso recordou ainda que vão ser inauguradas, dentro em breve, mais duas Unidades de Saúde no concelho, mais precisamente em Areias e em S. Martinho do Campo, executadas pela Câmara Municipal com o apoio da ARS Norte que dotou todo o concelho de Santo Tirso com uma das melhores redes de Cuidados de Saúde Primários ao nível concelhio, conforme o reconheceram publicamente os relatórios do INTEC (Instituto Nacional de Tecnologia Comportamental) e o semanário Sol, num estudo desenvolvido para o efeito. Quanto à rede hospitalar, Castro Fernandes espera que a mesma se implemente tal e qual foi concebida aquando da assinatura do protocolo assinado entre a Câmara Municipal e o Ministério da Saúde em 2007.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *