Cultura, Trofa

Júlio Magalhães na Trofa a 8 de maio no Encontro Lusófono

O jornalista e escritor Júlio Magalhães estará na Trofa, a 8 de maio, pelas 21h30, no âmbito do Encontro Lusófono que está a decorrer na Casa da Cultura da Trofa.

O Diretor do Porto Canal e autor de vários bestsellers, designadamente ”Os Retornados – Um amor nunca se esquece”, em 15ª edição e “Um Amor em tempos de guerra”, em 10ª edição, duas obras com mais de 75 000 exemplares vendidos, vem à Trofa apresentar o seu último Livro “Não nos roubarão a esperança”, num encontro com o público, onde pretende falar da sua inspiração como escritor e dar a conhecer a sua mais recente obra.

De recordar que Júlio Magalhães nasceu no Porto a 7 de Fevereiro de 1963 e foi para Angola com 7 meses. Em 1975 regressou a Portugal, para a cidade do Porto. Aos dezasseis anos, iniciou a sua carreira como colaborador de O Comércio do Porto na área do desporto e dois anos depois integrou os quadros do mesmo jornal. Trabalhou no jornal Europeu, no semanário O Liberal e na Rádio Nova. Estreou-se na RTP em 1990, onde foi jornalista, repórter e apresentou o programa da manhã e o Jornal da Tarde, posteriormente foi também jornalista, pivot e diretor de informação da TVI.

 

SINOPSE DO LIVRO “NÃO NOS ROUBARÃO A ESPERANÇA”

“Poderá o amor nascer em tempo de guerra? No Portugal de Salazar e nos tempos conturbados da guerra civil espanhola, Miguel Oliveira, voluntário português ao serviço das tropas nacionalistas de Franco, é feito prisioneiro pelos republicanos, depois de o seu avião ter caído nos arredores de Barcelona. Um feliz golpe de sorte salva-o de um julgamento sumário e de uma morte certa por fuzilamento. Será trocado por um oficial republicano, perto de Madrid. Miguel inicia uma longa viagem de automóvel que o vai levar de Barcelona a Madrid num território pejado de perigos. Será durante essa intensa viagem que ele conhecerá e se apaixonará por Dolores, a jovem republicana responsável por levá-lo à capital espanhola. Outrora uma defensora ardente da República, Dolores está nos finais da guerra, cansada de ver tanta morte e destruição. Para sua grande surpresa e sem nunca abandonar os seus ideais, a jovem republicana encontrará em Miguel um bom confidente e até um protetor. Tendo como pano de fundo a violenta paisagem desenhada pela guerra civil, Não nos roubarão a esperança, narra o nascimento de um grande amor que terá de provar ser mais forte do que o ódio.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *