Óbidos, Sociedade

Óbidos participa em rede que junta 10 cidades de toda a Europa

Miguel Silvestre - Creative - URBACT IIO Município de Óbidos integra a rede europeia “Creative Spin”, do programa URBACT II, que junta 10 cidades europeias. Óbidos foi convidado a substituir a cidade de Sevilha, em Espanha, estando, pela segunda vez, num projeto europeu ligado à Criatividade.

 

 

 

Miguel Silvestre, coordenador deste projeto, pelo Município de Óbidos, explica que “o objetivo desta rede é o de estudar o efeito de spill over”, ou seja, “como é que nós conseguimos que a criatividade e as indústrias criativas sejam uma mais-valia para outros setores tradicionais da economia, como a Agricultura, o Turismo, a indústria da manufatura propriamente dita, ou outros setores, como o comércio”.

 

 

 

“Tudo isto encontra-se perfeitamente alinhado com o que temos vindo a desenvolver, com a estratégia que o Parque Tecnológico tem, com a própria [estratégia municipal] Óbidos Criativa. É uma rede que está agora a iniciar, com um conjunto de parceiros muito fortes, como Roterdão (Holanda), Essen (Alemanha), Worclaw (Polónia), Bolonha (Itália), Birmingham (Reino Unido), que lidera a rede, Mons (Bélgica), Kortrijk (Bélgica), Tallin (Estónia), Kozich (Eslováquia) e Óbidos”, explica o responsável.

 

 

 

De acordo com Miguel Silvestre, este “é um passo lógico na afirmação internacional de Óbidos e de estarmos numa rede onde exista um conjunto de boas práticas a nível europeu”. A rede Creative Spin tem como objeto avançar com projetos “mais direcionados para as áreas preferenciais para Óbidos, como a indústria, o turismo e a agricultura”. “São áreas que, para nós, são vitais e que queremos que a criatividade, que as indústrias criativas consigam furar dentro desses setores”, sublinha.

 

 

 

A rede tem uma duração de 2 anos e meio e durante esse período existe um conjunto de visitas temáticas a cada um dos parceiros, onde o objetivo é que cada cidade aprenda e partilhe algumas experiências dentro destas áreas para, depois, se chegar a um Plano de Ação e de Desenvolvimento para cada município. “Há um conjunto de parcerias que estão a ser feitas e Óbidos está também a desafiar os parceiros para que possam estar cá em Portugal, e em Óbidos, por ocasião da abertura dos edifícios centrais do Parque Tecnológico”, afirma Miguel Silvestre.

 

 

 

Os trabalhos a desenvolver, durante este período, serão de componente prática e teórica. “Teórica numa perspetiva de que temos de estudar muito e trabalhar com as próprias universidades estes conceitos, alguns deles emergentes, que só agora é que estão a começar a ser trabalhados desse ponto de vista. E depois temos também o objetivo de verter isso tudo que aprendemos para o nosso território, em projetos concretos e em partilhas com pessoas”, concretiza.

 

 

 

Recorde-se que Óbidos liderou, de abril de 2008 a maio de 2011, a rede “Creative Clusters em Territórios de Baixa Densidade” cujo objetivo foi de analisar de que forma é que a criatividade e as indústrias criativas podem ser aplicadas em modelos não metropolitanos. “Esse trabalho foi conseguido, aprendemos bastante com essa rede, criámos o nosso Plano de Ação Local e criámos também algumas ligações com parceiros internacionais que estão, atualmente, a trabalhar com o Município de Óbidos em outras redes, nomeadamente na área da Educação, com Reggio Emilia (Itália)”, conclui Miguel Silvestre.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *