Cultura, Lousã

Sérgio Godinho atua na Lousã

No próximo dia 27 de abril, pelas 21h30, englobado nas Comemorações dos 500 anos do Foral Manuelino e do 25 de abril, o Cineteatro da Lousã acolhe a atuação de Sérgio Godinho.

 

O espetáculo, o segundo do Ciclo de Concertos, copromovido pela Câmara Municipal e pela promotora Domingo no Mundo, conta com o apoio da EDP- Distribuição; Licor Beirão; Santander TOTTA e Caixa Agricola Beira Centro. O media partner é o Diário de Coimbra.

 

Para o Presidente da Câmara, Luís Antunes, “O ciclo de concertos das comemorações dos 500 anos do Foral Manuelino da Lousã, foi definido tendo em conta diversos fatores, nomeadamente a qualidade e o percurso dos artistas. A exemplo do espetáculo de Herman José, que teve lugar no dia 9 de março e que lotou o Cineteatro, a Câmara Municipal entende que a atuação de Sérgio Godinho será mais um momento de qualidade que dignificará a efeméride que celebramos e, devido ao seu percurso, nomeadamente os temas de “intervenção”, será também um momento de celebração da revolução de abril.”

 

Luís Antunes, destaca ainda, “as entidades que se associaram a este ciclo de concertos, nomeadamente a copromotora e os patrocinadores que permitiram que fosse promovido um cartaz de elevada qualidade, que terá, entre outras formas, promoção televisiva e que não significa, devido aos apoios conseguidos, qualquer custo para a Autarquia.”

 

Como autor, compositor e cantor, Sérgio Godinho, personifica perfeitamente a sua música “O Homem dos 7 Instrumentos”. Multifacetado, representou já em filmes, séries televisivas e peças teatrais. A Dramaturgia surge com a assinatura de algumas peças de teatro assumindo-se também como realizador. Aos 20 anos sai de Portugal, voltando as costas à guerra colonial. Permanece 9 anos afastado do país. A sua maior ligação é com a capital francesa, Paris, onde integra por dois anos o elenco do musical “Hair” e começa a esboçar as suas primeiras músicas, tomando contacto com outros músicos portugueses, como José Mário Branco, Zeca Afonso e Luís Cília. Passou ainda por Amsterdão, Brasil e Vancouver.
Em 1971 colabora no primeiro álbum a solo de José Mário Branco, Mudam-se os tempos mudam-se as vontades, e viria nesse mesmo ano a concretizar a sua estreia discográfica ao gravar, em solo francês, o LP Os sobreviventes. Gravou ainda no exílio o álbum Pré-histórias, em 1972.
Ainda que constantemente censurados, estes álbuns conseguiram alcançar popularidade entre o público português no ano seguinte, tendo inclusivamente a imprensa premiado Sérgio como “Autor do ano” e Os Sobreviventes como “Disco do ano”.

 

Já no Canadá, casa-se com sua primeira mulher, Shila, colega na companhia de teatro The Living Theatre. Estabelece-se numa comunidade hippie em Vancouver, e é aqui que recebe a notícia da revolução do 25 de Abril, que o leva a regressar a Portugal. Já em terras lusitanas, edita o álbum À queima-roupa (1974) um sucesso que o faz correr o país, atuando em manifestações populares, frequentes no pós 25 de Abril. Desde então a sua carreira não mais parou; duas das suas canções mais aclamadas, são: É terça-feira e Com um brilhozinho nos olhos.

 

Os bilhetes para este espetáculo estão já à venda no Espaço Internet da Lousã, em www.ticketline.sapo.pt, nas lojas Fnac, Worten,  El Corte Inglés, Centros Comerciais Dolce Vita, Casino de Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Agência Abreu, Agência A.B.E.P., Almada Fórum, Armazéns do Chiado, Braga Retail Center, Espaço Guimarães, Fórum Algarve, Fórum Aveiro, Fórum Coimbra, Fórum Madeira, Fórum Montijo, Fórum Sintra, Fórum Viseu, Parque Mondego e Albufeira Retail Park.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *